Pastor Victor e esposa são condenados e fogem do Irã

Shamiram foi convocada para iniciar o cumprimento de pena de cinco anos de prisão

[Atualizado em 20/08/2020 às 11h12]

A Portas Abertas tem acompanhado os casos de prisão e condenação do pastor Victor Bet-Tamraz, 65, e da esposa dele, Shamiram Issavi, 64, no Irã. Desde novembro de 2019, o casal cristão lutava por uma sessão de apelação, mas as audiências foram marcadas e adiadas diversas vezes. A última deveria acontecer em primeiro de junho, entretanto, foi cancelada sem justificativa.

Então, em 19 de julho, os seguidores de Jesus souberam, pelo advogado, que o recurso deles foi rejeitado e nenhuma outra audiência seria realizada para reavaliar as penas. Além disso, Shamiram foi convocada à prisão de Evin para iniciar o cumprimento da sentença de cinco anos de encarceramento.

Porém, no dia 15 de agosto, o casal cristão fugiu do Irã. De acordo com a filha Dabrina, eles passam bem e devem continuar a batalha judicial no exterior. “Oramos por justiça tanto para meus pais quanto para todos os cristãos que sofrem nas prisões", afirmou a cristã que já vistou as igrejas brasileiras em 2016.

O pastor Victor e Shamiram foram condenados a 10 e cinco anos de prisão, respectivamente, em 2017. Os “crimes” cometidos pelos cristãos foram agir contra a segurança nacional, organizar pequenos grupos de estudos bíblicos, participar de seminários no exterior e treinar outros pastores e líderes para serem “espiões”.

As prisões iranianas são insalubres e podem ser um local propenso para a proliferação da COVID-19. Em março, a justiça do país libertou 85 mil presos por temer o alto contágio entre os detentos, alguns deles eram cristãos. Mas ainda há outros discípulos de Jesus que cumprem penas no território por causa do envolvimento com o cristianismo.

Pedidos de oração