Tensão aumenta entre Turquia e EUA sobre caso Brunson

Governo turco nega pedido americano quanto a libertação do pastor

| 21/08/2018 - 00:00

O pastor Andrew Brunson vivia na Turquia há 23 anos antes de ser preso (Imagem: Time)

O pastor Andrew Brunson vivia na Turquia há 23 anos antes de ser preso (Imagem: Time)


Uma semana antes da Festa do Sacrifício muçulmana, o Ministro das Relações Exteriores turcas, Mevlüt, acusou o presidente americano Donald Trump de não querer resolver o desentendimento entre os dois países no caso do pastor americano preso, Andrew Brunson. O principal diplomata turco citou as especulações da mídia de que as razões de Trump para recusar as negociações diplomáticas quanto ao destino do pastor foram políticas, para reforçar seu apoio eleitoral entre eleitores da “direita religiosa”.

Na última semana, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, também questionou a publicidade de Trump no pedido de soltura imediata de Brunson, após o líder americano dobrar as tarifas do aço e alumínio para a Turquia e ameaçar com novas sanções até a soltura e retorno de Brunson aos Estados Unidos. As tarifas americanas anunciadas abalaram os mercados turcos, levando a lira a uma baixa histórica de aproximadamente 20%. O presidente turco pediu um boicote aos aparelhos eletrônicos americanos e anunciou tarifas contra carros, álcool, tabaco e outros importados americanos.

Trump protestou em suas redes sociais que Brunson é um “refém patriota”. “A Turquia tem levado vantagem sobre os Estados Unidos por muitos anos. Não vamos pagar nada pela soltura de um homem inocente. Estamos agora cortando laços com a Turquia”, disse o presidente americano. No mesmo dia, o 3º Supremo Tribunal Penal de Esmirna rejeitou formalmente um recurso pendente apresentado pelo advogado de Brunson para tirar a prisão domiciliar e proibição de viagem atual do seu cliente. A remoção dessas restrições agilizaria o retorno do pastor aos Estados Unidos.

O advogado de defesa planeja apelar novamente em 15 ou 20 dias, além disso, disse que poderá buscar recursos no Tribunal Constitucional, e se recusado, irá ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos. Diplomatas da Alemanha e Reino Unido pediram a Turquia pela libertação de Brunson da prisão. “Decidir soltar Brunson agora seria a solução para resolver os problemas econômicos atuais”, disse o Ministro das Relações Exteriores alemão, Heiko Maas. Uma quarta audiência do caso está marcada para 12 de outubro.

Pedidos de oração

  • Ore pelo pastor Andrew Brunson, que a justiça possa resolver definitivamente sua situação e ele seja liberto.
  • Interceda pelos governantes da Turquia, que eles intervenham na situação e finalizem o caso.
  • Apresente a família de Brunson, que eles possam estar firmados em Cristo durante esse processo.

Leia mais
Pastor Andrew Brunson é transferido para prisão domiciliar
Pastor americano continua preso na Turquia após audiência
“Eu quero que a verdade venha à tona. Eu amo a Turquia”, diz Brunson


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE