Apesar das lutas, a Igreja de Bangladesh está crescendo

| 29/01/2007 - 00:00


Em novembro de 2006, uma equipe da Portas Abertas visitou Bangladesh para conhecer de perto a Igreja e ver o trabalho de Deus através da Portas Abertas. Noime Lumapas, da Portas Abertas Filipinas, falou de suas impressões e percepções.

Quais eram suas impressões sobre a Igreja de Bangladesh antes de sua visita?
Antes da viagem eu achava que a Igreja em Bangladesh encontrava-se em luta e que a Igreja livre deveria estar pronta para ajudá-la em suas necessidades. Eu achava que as pessoas eram tão pobres, que eu esperava receber pedidos de ajuda material. Mas isso mudou quando eu encontrei os cristãos. Descobri que apesar das lutas, a Igreja de Bangladesh está crescendo. Eu achava que nosso papel era suprir suas necessidades, mas percebi rapidamente que poderíamos aprender muito com ela. Muitos cristãos em Bangladesh são pobres, mas, em vez de nos pedirem ajuda material, eles nos pediram algo de um valor muito maior: nossas orações. Descobri também que os cristãos bengaleses estavam alcançando os muçulmanos. Eles precisam apenas ser preparados.

Que lição da Igreja de Bangladesh você trouxe de volta?
Meu encontro com as famílias de cinco mártires me ensinou que o perdão genuíno não depende de que a justiça tenha sido feita ou não. Antes disso, ele é o resultado da crença de que Jesus já venceu, e de que morrer por causa dele é um privilégio e não uma desventura. Quando um cristão perseguido perdoa, há sempre o pano de fundo do evangelho envolvendo essa decisão. Como disse a senhora Theresa Goni: "Orei pelos assassinos do meu marido desde o dia em que ele morreu. Orei para que eles confessassem o assassinato, se arrependessem e aceitassem Cristo como seu Salvador pessoal".

Como a visita impactou seu grupo?
Para a maioria de nós, foi a primeira visita ao país. Vimos como a vida lá é difícil. Participamos de um culto em um salão lotado, em uma vila distante. Ouvimos a história de um jovem casal que foi expulso de sua comunidade por compartilhar sua fé. Encontramos um jovem cuja família o rejeitou por ele ter dado ouvidos ao chamado de Deus. Todos eles permanecem fiéis. E nós compreendemos que não podemos jamais praticar nossa religião superficialmente. Os cristãos bengaleses pagam um alto preço por ela. Eles estão vivendo o que Paulo descreve em 2 Coríntios 4: "abatidos, mas não destruídos, perseguidos, mas não desamparados". A visitou nos inspirou a sermos apaixonados por mobilizar oração e apoio para eles, e em convencer nossas igrejas de que eles têm muito a nos ensinar. Pessoalmente, jamais esquecerei o encontro com algumas mulheres perseguidas. Sua sede pela Palavra de Deus e amor pelos perdidos são impressionantes. O pouco tempo que passei com elas me ajudou a entender o que significa "me identificar" com minhas irmãs perseguidas. No fim das contas, eu era alguém renovada e encorajada.

Que impacto a Portas Abertas está causando em Bangladesh?
Existe uma grande necessidade de preparar líderes e obreiros e a estratégia da Portas Abertas de treiná-los parece muito eficiente. A Portas Abertas faz isso ministrando o seminário Permanecendo Firme Através da Tempestade (PFAT), apadrinhando estudantes em institutos bíblicos, e enviando livros e impressos. Nós nos encontramos com professores e estudantes desses institutos que disseram que a Portas Abertas é um instrumento para prepará-los para o ministério.
Em 2006, a Portas Abertas patrocinou o treinamento de saúde para cinco obreiros durante seis meses. Esses "médicos rurais", como são chamados, têm ajudado muitos aldeãos e são muito respeitados. Eles podem compartilhar o evangelho abertamente com seus pacientes.

Se você pudesse voltar a Bangladesh, o que faria de diferente?
Eu deixaria para trás minhas noções pré-concebidas (eu achava que Bangladesh era um dos países mais pobres do mundo e ele não está nem entre os 20 mais pobres!). Eu leria mais sobre o país e aprenderia algumas frases em bengalês para facilitar minha comunicação, mesmo os mais básicos cumprimentos. E levaria cartões de encorajamento com versículos para dar aos cristãos.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE