Sul das Filipinas é atacado por extremistas islâmicos

| 24/05/2017 - 00:00


24-filipinas-pessoas-caminhao

Na tarde de ontem, 23 de maio, extremistas do grupo islâmico Maute (afiliado ao Estado Islâmico) atacaram à cidade de Marawi, no Sul das Filipinas. Além dos ataques, o grupo espalhou a bandeira do Estado Islâmico pela cidade. Os tiros disparados atingiram a prisão local, uma escola cristã e uma igreja. Ainda não se sabe se os tiros foram planejados ou consequência do confronto iniciado pelo grupo.

Os cidadãos estão assustados e pedem orações. Eles contam que as casas estão sendo invadidas e que mulheres que não vestem o jihad (véu islâmico) estão sendo sequestradas. Nas mídias sociais, há pedidos de ajuda e informações sobre desaparecidos, postados por seus parentes. Numa dessas postagens, uma vítima conta que eles são obrigados a citar o chahada (declaração de um credo islâmico) para não serem mortos.

O presidente Duterte declarou a lei marcial (quando a justiça fica a cargo de autoridades militares) por 60 dias em toda região sul. Ele também cancelou compromissos com a Rússia para tratar da crise no país. Os militares alegam que a situação está sob controle e negam a participação do Estado Islâmico nos ataques. Segundo eles, o grupo Maute quer apenas chamar atenção.

Gina*, colaboradora da Portas Abertas na região, compartilhou o pedido de uma cristã ex-muçulmana: “Por favor, orem pelos cristãos de Marawi. Peçam pela proteção de Deus sobre nós. Líderes cristãos foram sequestrados pelo Estado Islâmico”.

*Nome alterado por motivos de segurança.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE