Projeto de pesca ajuda na renda de famílias perseguidas

Após conversão, cristãos são boicotados em grupo de pesca coletiva que gerava renda para toda a comunidade

| 30/01/2019 - 00:00

Parceiros da Portas Abertas forneceram três mil peixes e a comida necessária para ganharem seu sustento

Parceiros da Portas Abertas forneceram três mil peixes e a comida necessária para ganharem seu sustento


No nordeste da Índia mora uma casta onde a ocupação base é a pesca. O grupo ganha seu sustento por meio da pesca coletiva. Três famílias desta comunidade vieram a fé cristã. Eles se tornaram muito ativos no ministério e começaram a realizar cultos de domingo, em que milhares de pessoas de vilas próximas poderiam vir. Sua fé e trabalho, entretanto, foram criticados e eles foram imediatamente boicotados pela sociedade. Como resultado disso, também tiveram negado o direito de compartilhar da pesca coletiva, não tendo mais uma fonte de renda.

As famílias são de Ritesh*, Rohan* e Suman*, três irmãos que trabalham ativamente para espalhar as boas novas sobre Jesus nas vilas próximas. Tanto que eles realizaram um culto de domingo e havia mais de 1500 pessoas. Isso chamou muita atenção e recebeu muitas críticas e oposição das pessoas da vila. Além disso, queixas contra eles foram feitas à polícia e Ritesh e seus irmãos foram acusados falsamente de converter pessoas para o cristianismo utilizando formas fraudulentas.

Embora os cultos tenham sido temporariamente interrompidos, foram retomados e Ritesh os dividiu em dois. “Depois dos Seminários de Preparação para Perseguição da Portas Abertas, eu aprendi que temos que ser cuidadosos enquanto trabalhamos contra a oposição. Também aprendi que devemos conduzir os cultos em pequenos grupos para não chamar muita atenção. Depois da polícia nos visitar com frequência, também fomos interrogados algumas vezes, entretanto não encontraram culpa em nós. Como resultado, nossos cultos da igreja continuam até hoje”, conta Ritesh.

Ajuda de forma prática
Apesar das pessoas continuarem indo à igreja, as famílias de Ritesh e seus dois irmãos continuam com dificuldades financeiras para pagar as contas. Tudo porque continuam sendo boicotados pelo grupo de pesca comunitária. Sendo assim, um parceiro local da Portas Abertas decidiu ajudá-los a usar suas habilidades de pesca já existentes.

Ritesh tem um cais de tamanho médio na frente de sua casa, portanto parceiros da Portas Abertas ajudaram-no a criar sua própria criação de peixes. “Nós fornecemos três mil peixes e a comida necessária. Também compramos uma rede para protegê-los de qualquer risco externo. Agora, estão aptos a criar os próprios peixes e vendê-los no mercado para ganhar seu sustento”, compartilhou o parceiro.

Ritesh compartilhou: “Jesus prometeu em Mateus 28:18-20 que estaria conosco até o fim dos tempos. Eu percebi que Deus está cumprindo sua promessa em minha vida, mesmo durante esse tempo de tanta perseguição. Sou grato pela ajuda e porque os parceiros da Portas Abertas sempre estão comigo, me aconselhando e orando por mim. Nós perdemos tudo quando a comunidade nos boicotou, mas Deus nos ajudou a servi-lo ainda mais por meio dos parceiros da Portas Abertas. Deus nos ajudou de forma prática para cumprirmos o ministério”.

Envie equipes de resposta rápida
Quando cristãos na Índia sofrem perseguição, geralmente, enfrentam diversos tipos de necessidade. Para isso, enviamos equipes de resposta rápida – formadas por voluntários – que oferecem alimentos, itens de necessidade básica, ajuda na renda e assistência jurídica. Com sua doação, você patrocina uma equipe de resposta rápida por cerca de um mês.

*Nomes alterados por segurança.

Leia também
Falsas acusações contra cristãos podem ser retiradas
Jovem cristã perseguida continua seus estudos
Como a ajuda de parceiros abençoa cristãos indianos
 


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE