Ore pelo pastor Samphel, que é perseguido de várias formas

Ele conta como as orações o ajudaram a passar pela “tortura mental” que enfrentou

| 29/11/2017 - 00:00

A maioria budista no Butão pressiona os cristãos perseguidos

A maioria budista no Butão pressiona os cristãos perseguidos


Hoje vamos continuar contando um pouco mais da história do pastor Samphel, que enfrenta perseguição em todos os aspectos, inclusive do governo e instituições. Certa vez, os pais de todos os alunos cristãos da escolha de seu filho foram chamados e o diretor disse que eles não estavam seguindo as regras nem obedecendo. Isso porque eles não se curvaram diante de imagens budistas na celebração do Rimbro, um dos rituais anuais. Quando os pais responderam que no que diz respeito à religião, eles não deveriam ser forçados, o diretor ficou muito nervoso.

Depois disso, as crianças foram obrigadas a escrever tudo o que aprendiam na igreja. Um dia, os alunos cristãos foram chamados à frente e, diante de todos os alunos da escola, o diretor jogou água em suas cabeças, dizendo que era assim que os cristãos eram batizados. Mas com a ajuda de outro líder da igreja, o pastor Samphel conseguiu que isso não se repetisse.

Em outra ocasião, Samphel mostrou um filme sobre Jesus na reunião de jovens e, sem querer, um dos adolescentes levou o vídeo para a escola. A professora dele viu e levou ao diretor. O diretor mostrou o vídeo para todos os alunos. Depois, chamou os pais dos alunos e disse que o pastor Samphel havia mostrado o vídeo para eles, e fez os pais escreverem acusações contra o pastor.

Perante o tribunal

Depois disso, um comitê foi formado com diferentes níveis de autoridade para descobrir quantas igrejas havia na região central do Butão, e todos os pastores foram chamados para escrever declarações de suas atividades. Quando chamaram o pastor Samphel, queriam que ele assinasse um documento que proibia qualquer tipo de reunião, mas ele se recusou, e o caso foi levado ao tribunal.

No tribunal, ele foi chamado todos os dias, por mais de uma semana, para escrever declarações de suas atividades e assinar um termo concordando com o fim das reuniões. Ele escrevia sempre a mesma coisa. O prefeito e os pais das crianças que haviam assistido ao filme disseram que se ele concordasse, seria perdoado por ter passado o filme, mas ele se recusou. Pastor Samphel tinha certeza de que seria preso por isso. Mas o tempo passou, e ele nunca mais foi chamado ao tribunal. Até que em 2015 mudou-se para outra cidade, Thimphu, onde vive até hoje.

Mas o processo todo levou mais de um mês, o que o pastor chama de “tortura mental”. Alguns líderes cristãos sugeriram que ele assinasse a declaração, para que as acusações fossem retiradas. Mas ele disse: “Eu não posso falar para as pessoas pararem de vir à minha casa para ter comunhão, porque isso afetaria as futuras gerações”. E completa: “No começo eu estava com medo, mas depois fiquei seguro, pois sabia que pessoas do mundo inteiro estavam orando por mim”.

Pedidos de oração

  • Ore pelo ministério do pastor Samphel na região central do Butão e também em Thimphu.
  • Peça pela construção da casa em Thimphu, onde um dos cômodos será dedicado às reuniões da igreja.
  • Ore pelas autoridades e pela família real do Butão, para que Deus toque suas vidas. E também peça por união e força para os líderes cristãos.

Leia mais
“Aceitar Jesus foi fácil, mas viver a fé teve um preço”

Leia também

Cristãos têm aula de alfabetização

 

O poder da alfabetização na vida de cristãos butaneses

 


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE