Testemunhas de Jeová ameaçadas de morte

| 21/05/2004 - 00:00


As testemunhas de jeová no Turcomenistão mostraram medo pela segurança de cinco detentos desta religião no campo de trabalho forçado em Seydi, depois de dois deles serem ameaçados de morte. Eles foram ameaçados de morte, disse uma testemunha de jeová ao Forum18. Levamos essas ameaças muito a sério. Embora as testemunhas de Jeová não tiveram condições de descobrir se essas ameaças foram direcionadas da administração da prisão ou de guardas, eles acreditam que essas ameaças estariam de baixo do pleno conhecimento da administração carcerária. O Forum18 não conseguiu entrar em contato com a administração do campo de trabalho forçado para desvendar o motivo das ameaças terem sido emitidas e o motivo de cinco prisioneiros serem maltratados.

O medo tem crescido quando, desde início de abril, os prisioneiros - Aleksandr Matveyev, Rimat Babadjanov, Shohrat Mitogorov, Rusian Nasyrov e Rozymamed Satlykov - foram isolados de suas famílis e de seus amigos. Não há possibilidade de visitá-los desde então, disse ao Forum18 uma testemunha de jeová que preferiu não ser identificada. As testemunhas de jeová não sabem quais dos dois prisioneiros foram ameaçados de morte.

As testemunhas de jeová deste local, que são próximas dos prisioneiros, dizem que somente a atenção internacional pode proteger os cinco detentos. Essa ajuda já foi útil no passado quando os nomes dos prisioneiros foram divulgados para todo mundo.

Eles dizem que os cinco detentos são espancados freqüentemente no campo de trabalho. Às vezes, as agressões chegam a acontecer todos os dias, e em outras ocasiões, diminuem, disse outro adepto desta religião ao Forum18. Os guardas comandam as agressões ou usam outros prisioneiros para aplicá-las. A mesma fonte disse que a pressão é muito pesada para os prisioneiros para que eles citem o juramento obrigatório de submissão ao presidente, para abandonar a sua crença e converter-se ao islamismo e concordar em prestar o serviço militar.

O campo Seydi foi construído para abrigar quatrocentos a quinhentos prisioneiros, mas freqüentemente abriga milhares ao mesmo tempo. As vezes uma cela que deveria abrigar dez prisioneiros chega a abrigar o dobro disso. Os prisioneiros são freqüentemente enviados para a solitária por um período que varia de cinco até quinze dias.

Além desses cinco detentos, uma sexta testemunha de jeová - Kurban Zakirov - está servindo uma sentença de oito anos, no que sua comunidade insiste que estão sendo acusados falsamente. O Forum18 observa que esses são os únicos prisioneiros religiosos conhecidos, junto com o ex-chefe mufti Nasrullah ibn Ibadullah, sentenciado com vinte e dois anos de prisão. Acredita-se que vários muftis foram enviados para exilo interno sem passar por julgamento.

O endereço do campo Seydi é 746222 Turcomenistão, Lepab velayat Seydi Uchr. LB-K/12.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE