Missionário acusado de converter muçulmanos é expulso da Caxemira

| 04/05/2004 - 00:00


Cidade do Vaticano, 4 mai (EFE).- Um missionário católico, acusado por um jornal indiano de converter muçulmanos ao cristianismo, terá que deixar a Índia em dez dias, segundo as autoridades do Estado de Jammu e Caxemira, de maioria muçulmana, informou hoje, terça-feira, a agência vaticana Asianews. Trata-se do missionário holandês Jim Borst, que vive na Índia desde 1945, onde chegou no final da Segunda Guerra Mundial e a quem as autoridades do Estado de Jammu e Caxemira negaram a renovação do visto.


Leia mais no UOL


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE