Outras religiões: Bíblias destruídas e testemunha de jeová sentenciada

| 19/03/2004 - 00:00


Uma testemunha de jeová de Smarkand, no sudeste do Uzbequistão, recebeu uma sentença depois de ter se reunido com fiéis em um apartamento residencial em outubro passado de acordo com informação recebida pelo Forum18 News Service. Vladimir Kushchevoy já tinha sido punido sob o código administrativo de ofensas. No que parece ser uma tendência crescente, a corte ordenou que a literatura religiosa que foi confiscada dele fosse destruída. Outras testemunhas de jeová ainda estão sendo multadas por se reunirem.

A corte criminal do distrito de Temiryut em Samarkand, presidida pelo juíz T. Abdukhamidova, declarou culpado Vladimir no dia 17 de janeiro sob o Artigo 229, parte 2 do código criminal. Ele foi sentenciado a três anos de trabalho corretivo - no qual o indivíduo mora em casa mas trabalha em determinado emprego - com 20% de seu salário a ser deduzido e transferido para o orçamento do Estado. A corte designou o antigo local de trabalho de Vladimir como o local para ser cumprida a sua pena. A corte também ordenou que todas as literaturas religiosas confiscadas dele - 38 itens no total, incluindo a Bíblia e o novo testamento - devem ser destruídas.

A sentença dessa testemunha de jeová foi a primeira conhecida no caso criminal contra eles desde a ocasião em que Marat Mudarisov foi sentenciado em Tashkent em novembro de 2002 acusado de incitar o ódio religioso. Depois da atenção internacional ao seu caso, ele foi finalmente liberado de suas acusações pela corte da cidade de Tashkent para casos criminais no dia 8 de outubro de 2003.

Em visita à corte do distrito de Temiryul no dia 15 de março, o Forum18 obteve a informação que todo o sistema da corte está sendo reorganizado e que todas as cortes estão fechadas. O Forum18 ficou portanto incapaz de descobrir do juíz Abdukhamidova o motivo de Vladimir ter sido sentencidado por discutir sua fé em um encontro fechado e também o por que de sua literatura religiosa ter sido ordenada para ser destruída.

Na verdade ainda não foi provado que Vladimir estava de fato passando instruções religiosas, disse Andrei Agafonov, outra testemunha de jeová no dia 10 de março. Ninguém pode proibir pessoas de tomar chá junto e conversar sobre assuntos de interesse comum, incluindo religiosos. Entretanto, no Uzbequistão reuniões onde as pessoas se encontram para beber chá e conversar estão cada vez mais sendo vistas como reuniões religiosas que violam a lei.

Vladimir foi uma das três testemunhas de jeová que estava naquela reunião de 14 de outubro para ler a Bíblia em um apartamento residencial em Smarkand. A polícia invadiu o apartamento e confiscaram literaturas religiosas dos que estavam presentes naquela ocasião (incluindo uma Bíblia e uma cópia do Novo Testamento em uzbeque). Baseado em um registro feito pela polícia um caso criminal foi levantado contra Vladimir, pois já recebera uma sentença administrativa por pregar sua religião.

Baseado no que ele disse do fato de estar crescendo a pressão sob as testemunhas de jeová, Andrei citou o caso de Igor Milokhov, sentenciado pela corte em Mirobad, distrito de Tashkent no dia 5 de março de acordo com o Artigo 240 do código administrativo (violando a lei sobre as organizações religiosas). Ele foi multado em $ 27.200 - cerca de USD 27,00. Na verdade as pessoas estavam somente tomando chá no apartamento dele e conversando a respeito de Deus, disse ao Forum18 Andrei.

Ultimamente tem havido vários casos no qual testemunhas de jeová têm sido especificamente alvo das autoridades uzbeques assim como os protestantes.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE