Oficial do governo difama adventistas e muçulmanos

| 14/03/2004 - 00:00


O líder de uma pequena igreja adventista no Azerbaidjão descreveu como sendo uma absoluta mentira as acusações feitas pelo oficial senior de relações religiosas, Rafik Aliev, de que o pastor que foi obrigado a fugir de Nakhichevan tinha tentado subornar o povo local para se converter à religião dele. Isso é uma difamação, disse ao Forum18 o pastor Yahya Zavrichko, em Baku no dia 9 de março. Ele acusa o pastor Khalid Babaev sem ter nenhum fundamento. Devemos levá-lo à corte.

Zavrichko também rejeitou a alegação de Aliev de que a organização Adventista ADRA estivesse determinada a praticar o proselitismo. Uma porta-voz da mesquita milenar Juma rejeitou outra alegação de Aliev feita recentemente de que a Associação Internacional de Liberdade Religiosa, grupo que defende várias crenças, é uma organização adventista fundada por serviços especiais dos Estados Unidos.

Aliev, que é chefe do Comitê do Estado para Obras com Organizações Religiosas, fez acusações contra o pastor Babaev e contra a ADRA em uma entrevista com a rede de televisão estatal Azad Azerbaidjão TV no dia 5 de março. Suas acusações vieram em resposta às críticas veementes no dia 4 de março do Departamento Estadual Americano e da Comissão Americana de Helsinque, devido ao movimento de expulsar a comunidade islâmica da mesquita Juma e da recusa das autoridades de Nakhichevan para que a congregação adventista obtivesse o registro e protejesse o pastor Babaev de ameaças de morte.

O Forum18 tentou entrar em contato com Aliev no dia 9 de março para descobrir o motivo de ele ter feito tais alegações sobre o pastor Babaev, sobre a ADRA e sobre a Associação Internacional de Liberdade Religiosa, mas ele não estava no Comitê. A pessoa que atendeu ao telefone não quis se identificar, dizendo ao Forum18 que esse telefone não era do Comitê do Estado.

Idris Abbasov, chefe do escritório local do Comitê do Estado em Nakhichevan, confirmou ao Forum18 no dia 9 de março que ele não tinha discutido as dificuldades da comunidade adventista em Nakhichevan com Aliev desde o início de janeiro e que ele não tinha passado à Aliev quaisquer alegações de que Babaev estivera subornando os residentes locais para a sua religião. Ainda não é possível saber claramente como que Aliev obteve essa informação.

A TV citou que Aliev declarara que a ADRA, que está envolvida em popularizar o adventismo, está planejando aumentar o número de sua comunidade em todas as regiões. Sabendo que isso é contra a lei, Aliev disse que essas tentativas acabariam com certeza sendo frustradas. Essa não é a primeira vez que Aliev acusa a ADRA de tentar converter os locais, acusações estas que a ADRA tem negado vez após vez.

Zavrichko insistiu que enquanto que a ADRA é o braço de alento da igreja adventista, passa a ser uma organização completamente separada que somente fornece ajuda às pessoas em necessidades independente de suas crenças. A ADRA não se ocupa em atrair as pessoas ao cristianismo, declarou ele. As pessoas não devem misturar a igreja com a caridade - são organizações diferentes.

Seymur Rashidov, porta voz da comunidade da mesquita Juma, que está para entrar com um recurso contra a decisão da corte de retirar o templo - há doze anos em atividade - de seus fiéis, tem reclamado de uma nova campanha de informação distorcida. Dizendo que a Associação Internacional de Liberdade Religiosa é uma organização adventista que recebe dinheiro de serviços especiais americanos, ele quer criar uma impressão negativa na sociedade, disse ele ao Forum18 no dia 9 de março. É triste ouvir essas declarações falsas contra os fiéis e contra a renamoda Associação, especialmente vindo de um oficial importante do governo.

Rashidov descreveu as afirmações de Aliev como consumida de ódio em relação aos fiéis, descrevendo-o como um dos principais opositores da obra missionária.

O imã da mesquita Juma que se encontra preso, Ilgar Ibrahimoglu Allarverdiev, é o secretário geral da Associação Internacional de Liberdade Religiosa.

Zavrichko também insistiu que sendo a Associação originalmente fundada por adventistas há mais de um século, isso especifica que ela está aberta para pessoas de outras crenças. Eu não entendo o motivo de Rafik Aliev, um oficial do governo, fazer tais acusações. Isso é muito triste.

Enquanto isso, Abbasov insistiu que a comunidade adventista em Nakhichevan não pode atuar dentro da lei, pois não está registrada, embora ele não pudesse informar ao Forum18 qual artigo da lei do país especifica que o registro seja obrigatório para que as comunidades religosas se reunam.

Ele alegou que seu escritório rejeitou o pedido de registro dos adventistas, pois o estatuto proposto estava incompreensível, e que a comunidade não tinha a aprovação da prefeitura de Nakhichevan não possuindo também um número de identificação. Quando eles enviarem um pedido de forma correta iremos registrá-los dentro de um período de um mês, declarou ele. Antes disso, eles não podem se reunir conforme manda a lei.

Apesar das promessas feitas anteriormente ao Forum18 de que ele iria investigar as ameaças de morte que forçaram o pastor Babaev e sua família a deixarem a região de Nakhichevan, Abbasov disse que ele não tinha condições de se envolver, pois a comunidade não está registrada. Eu não tenho o direito de me envolver, continuou ele, Eu só posso trabalhar com organizações que estejam registradas junto ao governo.

Zavrichko informou ao Forum18 que agora ele crê que as ameaças anônimas ao pastor Babaev vieram do Ministério de Segurança Nacional. Somos pessoas sem os nossos direitos aqui em Nakhichevan, reclamou ele. Não há garantia que se Khalid voltar, ele possa continuar conosco, e que se trouxermos outro líder, este corre o risco de ser expulso também. Ele disse que a congregação, em sua maioria composta por idosas, está muito temerosa em fazer suas reuniões.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE