Outras religiões: Interferência do Estado na vida dos muçulmanos no No

| 06/03/2004 - 00:00


No ano passado, o governo do Turcomenistão substituiu os imãs-hatybs de etnia uzbeque pela etnia turcomena em todas as principais mesquitas em Dashoguz, região nordeste do Turcomenistão, embora a etnia uzbeque represente mais do que a metade da população. Os imã-hatybs foram demitidos de seus empregos em todas as três mesquitas em atividade em Dashoguz, embora a população da cidade represente três quartos dessa etnia, de acordo com informação recebida pelo Forum18 no dia 28 de fevereiro. Entre os desempregados está o imã Dustlik Seidabdulla, irmão de Nasrullah ibn Ibarullah que foi demitido pelo próprio presidente Saparmurat Niyazov como chefe mufti do Turcomenistão em janeiro de 2003.

Em Kunya-Urgench, distrito a 60 quilômetros de Dashoguz, os imã-hatybs foram demitidos como líderes das mesquitas em localizações antigas e também como líderes dos cemitérios Ashig-Aidyn, Ibrahim-adam e do Cemitério dos 3.360 Santos, venerado pelos muçulmanos. A turcomenização das mesquitas está longe de ser um exemplo isolado da interferência do Estado na vida dos religiosos.

As autoridades tomaram posse de um terço da terreno que fazia parte da mesquita Shalikyar em Dashoguz instalando uma drogaria neste local. As autoridades estão forçando-os a colocar a bandeira do país nas entradas das mesquitas. Todos os sermões dirigidos pelos imã-hatybs são obrigatoriamente iniciados com o ritual de inícioTurkmenbashi, Pai dos Turcomenos, que é a maneira como presidente do país insiste em ser chamado. Uma cópia do livro de Niyazov (livro da alma) é colocado proeminentemente na entrada de todas as mesquitas sendo que os fiéis são obrigados a encostar neste livro como se fosse um objeto sagrado. Instruções similares estão acontecendo em outras mesquitas sunitas e em igrejas ortodoxas russas. Essas são as únicas duas confissões legalizadas no país.

Os muçulmanos da região de Khorezm no Uzbequistão, fronteira com o Turcomenistão, também estão passando por perseguições da parte das autoridades turcomenas. Habitantes dos distritos do Uzbequistão que fazem fronteira com o Turcomenistão são obrigados a pagar USD 6,00 para um visto na fronteira (habitantes dos distritos uzbeques que não fazem fronteira com o Turcomenistão precisam de visto turcomeno na embaixada em Tashkent).

Considerando que a média salarial por mês na região de Khorezm é menos de USD 30,00, isso passa a ser uma enorme quantia para os habitantes locais. Os túmulos dos parentes dos uzbeques em Khorezm se encontram na maioria em território turcomeno. Segundo a tradição muçulmana, toda a família tem que visitar os túmulos dos parentes. Levando em conta que as famílias uzbeques possuem muitos filhos, um chefe de família tem que desembolsar entre USD 30,00 a USD 40,00 para atravessar a fronteira com todos os seus membros familiares. Essa quantia passa a ser tão grande que há dois anos uma multidão de uzbeques tentaram atravessar a força a fronteira para visitar os túmulos.

O novo regime com os vistos também causa problemas para as pessoas que tem que enterrar seus parentes e de fazerem suas peregrinações. Por exemplo o cemitério Karakapy bobo que serve à vila de Yangiabad (nordeste do Uzbequistão, 60km do centro regional de Urgench) fica em território turcomeno, mas desde essa nova norma com os vistos, os residentes locais preferem enterrar seus parentes em território uzbeque.

Existem também muitos mazars (túmulos para homens sagrados) e mesquitas antigas em território turcomeno que são venerados pelos muçulmanos locais. Por exemplo, a crença parte do princípio que a as três peregrinações ao Cemitério dos 3.360 Santos na cidade de Kunya-Urgench equivale a uma peregrinação à Meca.

As regiões de Dashoguz e Khorezm constituem junto uma etnia única conhecida como Khorezm que está dividida pela fronteira. O território desta região está associado com a história de três mil anos da civilização Khorezm oriunda das raízes da cultura mesopotâmica e da China Antiga, e também dos estados do Grande Kush. Quando o islã se estabeleceu nessa região, o estado Khorezmshah, tornou-se uma potência mundial por um curto período de tempo (entre os séculos XII e XIII) e também depois do colapso do império Timur de Khiva Khanate ocorrido antes da colonização russa. Até 1958 a capital do Khorezmashah de Khiva Kanate era a cidade de Kunya-Urgench, situada atualmente no Turcomenistão.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE