Coronel David de Vinatea sai da prisão no Peru

| 20/11/2003 - 00:00


Coronel David de Vinatea, oficial condecorado do exército peruano e cristão evangélico, recuperou sua liberdade ontem (19/11) depois de cumprir 8 anos e 10 dias de prisão por suposto tráfico de drogas.

David caminhou para fora dos portões da Prisão Lurigancho de Lima às 16:15h, hora local, acompanhado pela esposa, Chely, sua irmã, Srta. Maria Elena Mazzerini e seus três filhos adultos: David, Daniel e Pamela.

Mais tarde, amigos e familiares receberam os De Vinatea em sua casa em Lima com uma comemoração surpresa pela volta ao lar, cheia de confete e balões amarelos.

Neste exato momento, me sinto um tanto estranho, disse David, comentando sua tão esperada liberdade.

Tudo parece tão novo, tão fascinante, porque quando se perde a liberdade, perde-se tudo. O bom é que o Senhor nos protegeu e nos sustentou. Minha esposa e meus filhos foram fortalecidos e eu consegui sobreviver. Graças a Deus, tudo aquilo acabou agora, disse David.

Detido no dia 9 de novembro de 1995 quando comandava uma base militar na floresta amazônica, o Cel. De Vinatea foi sentenciado em dezembro de 1997 a 16 anos de prisão por suposto envolvimento no tráfico de cocaína.

Observadores que acompanharam de perto o caso ficaram convencidos de que o Cel. De Vinatea não somente era inocente das acusações, como também oficiais do alto escalão do governo do ex-presidente Alberto Fujimori acusaram o respeitado oficial de ilícito para encobrir suas próprias atividades ilegais.

Uma coalizão internacional de organizações cristãs agiram junto ao governo peruano para empreender uma revisão judicial do caso.

Em grande parte devido aos esforços dessas organizações, o presidente Alejandro Toledo decidiu no ano passado comutar a sentença de De Vinatea, dando oportunidade para sua libertação ontem (19/11).

Temos visto muitos casos de cristãos que vão para a cadeia por crerem em Cristo, disse o diretor de Portas Abertas para a América Latina, Richard Luna. No caso de David, ele foi preso por obedecer a Cristo. Eu penso que vamos ver mais casos como este no futuro.

Durante seu período de prisão, David manteve um testemunho cristão firme, dirigindo estudos bíblicos para internos e pastoreando uma pequena igreja dentro de Lurigancho.

O momento mais emocionante para mim hoje foi quando estávamos deixando o bloco de celas de David, disse Graciela de Vinatea a Portas Abertas.

Os internos fizeram uma formação em fila em ambos os lados da passagem, numa espécie de saudação de despedida ao meu marido. Disseram muitas coisas gentis a David enquanto ele passava por entre eles.

Quando indagado sobre o que pensa fazer nos próximos dias, David respondeu: Descansar. Talvez depois de oito anos eu consiga dormir uma noite inteira. Na prisão, não se dorme muito bem. Claro, depois de alguns dias de descanso, vou entrar em contato com Portas Abertas. Devo muito ao Senhor. Planejo me dedicar o máximo que puder ao trabalho do Senhor.

David tem uma palavra final aos cristãos do mundo todo que apoiaram a ele e sua família com orações e cartas durante seu longo sofrimento.

Eu disse uma vez que aquelas cartas eram como oxigênio para nós. Cada carta que chegava era uma tremenda alegria para mim, porque eu sabia que havia irmãos e irmãs ao redor do mundo orando.

Eu costumava contar aos irmãos da igreja lá na prisão que nós usufruíamos de um verdadeiro luxo - o luxo de saber que durante as 24 horas do dia, cristãos de diferentes continentes e países e horários estavam orando por nós. Louvado seja o Senhor!


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE