Dois cristãos voluntários da ajuda humanitária são seqüestrados na Col

| 23/12/2003 - 00:00


Na quarta-feira, 17 de dezembro, um bando de assaltantes armados entraram numa fazenda comunitária dirigida por cristãos evangélicos em Sincelejo, Colômbia, e seqüestraram dois homens que trabalhavam na ajuda a refugiados de guerra.

O advogado Juan Castillo Urueta, 31, e Jhony Jose Rios Anaya, 39, um empresário local, foram vistos pela última vez por volta das 11h da manhã. Seus seqüestradores apoderaram-se do furgão vermelho de Castillo marca Nissan e fugiram com os dois cativos.

De acordo com testemunhas, dois dos sete seqüestradores usavam uniformes de campanha iguais aos usados por grupos rebeldes que operam na área.

Fontes da Colômbia dizem que os seqüestradores ainda não contataram as famílias dos dois homens para exigir resgate ou determinar as condições para a libertação de Castillo e Rios.

La Esmeralda, a fazenda onde ocorreu o seqüestro, fica na municipalidade rural de Morroa e pertence à Comissão para Restauração, Vida e Paz do Conselho de Igrejas da Colômbia (Cedecol). Organizada em 2001 como refúgio para famílias desabrigadas pela violência polícia no instável Estado de Sucre, a propriedade supre alimento e lavoura para comercialização para os refugiados.

De acordo com uma reportagem do jornal de Cartagena, o El Universal, testemunhas disseram que todos os seqüestradores usavam botas de combate e quatro deles estavam com uniforme de campanha, levando os oficiais de polícia a concluir que eles são integrantes da 35a. Frente das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) ou da Frente Jaime Bateman Cayon, do Exército de Libertação Nacional (ELN), grupos rebeldes que operam na área.

Entretanto, as autoridades não afastaram a possibilidade de que criminosos comuns tenham executado o crime. A Colômbia sofre o mais alto índice de seqüestro do mundo. Na média, ocorrem quatro seqüestros por dia neste país de 44 milhões de habitantes.

No domindo (21/12) , funcionários do Cedecol viajaram de Bogotá para Sucre na tentativa de conseguir a libertação de Castillo e Rios.
Neste momento, estamos fazendo contatos para saber mais a respeito da situação e discernir os próximos passos, disseram funcionários do Cedecol. Pedimos as orações de vocês pela segurança e libertação deles e por sabedoria em como reagir a esta situação.

Castillo é filho da Sra. Maggie Urueta Ozuna, coordenadora fundadora do capítulo de Sincelejo do Justapaz, um ministério de serviço à comunidade organizado pela Igreja Menonita da Colômbia que trabalha junto com o Cedecol.

Advogado e ex-defensor público em Sincelejo, Urueta está envolvido na defesa do pastor Deivis Manuel Carrascal e vários líderes leigos de igrejas evangélicas da região. As forças de segurança prenderam o pastor e líderes leigos em agosto último e os acusaram de terrorismo. (Ver Pastor Evangélico e líderes leigos são presos por subversão, 28 de outubro de 2003.)

Nos últimos anos, cerca de 70 mil pessoas fugiram das comunidades rurais em volta de Sincelejo devido à luta entre grupos rebeldes guerrilheiros, forças paramilitares e o exército. Os refugiados se amontoam em assentamentos precários nos arredores de Sincelejo. A grande maioria sem emprego, eles carecem de comida, abrigo, água potável e outras necessidades básicas. A situação deles fez com que o Cedecol e o Justapaz organizassem a fazenda La Esmeralda e outros projetos de serviços à comunidade para dar-lhes melhores condições de vida.

No momento, os voluntários evangélicos ajudam cerca de 567 famílias desabrigadas com refeições, roupas usadas e educação fundamental. Maggie Urueta e seu filho estão procurando desenvolver um mercado para inhame que os lavradores desabrigados cultivam na fazenda La Esmeralda.

A Sra. Urueta estava nos Estados Unidos cuidando dos negócios da La Esmeralda quando aconteceu o seqüestro. Eu penso que os guerrilheiros cometeram um engano quando levaram o meu filho disse a Portas Abertas na sexta-feira (19/12) a mãe extremamente aflita. Sabemos que eles seqüestram pessoas por motivos financeiros, mas o meu filho não é um homem rico.

Ela apelou aos cristãos da comunidade internacional para que orem por Juan Castillo e Jhony Rios.

Peça para que orem, para que Deus poupe a vida do meu filho e do seu amigo. Juan me ajuda muito no trabalho que eu faço. Ele é uma grande ajuda aos irmãos que estão desabrigados. Nós dependemos muito dele.

Orem para que esses homens respeitem a vida de Juan e de Jhony, para que eles estejam em casa no Natal.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE