Funcionários de escola são atacados por extremistas hindus

| 07/12/2006 - 00:00


Na quinta-feira, dia 30 de novembro, membros da ala jovem de um grupo extremista hindu entraram na escola católica para garotas do Convento Avila, em Mysore, no Estado de Karnataka, e atacaram vários funcionários da instituição.
 
Os membros do Bajrang Dal, ala jovem do Vishwa Hindu Parishad (VHP), acusou a escola de tentar converter crianças hindus.
 
"Quatro homens entraram no meu escritório em torno das 11h30, identificando-se como do Bajrang Dal e do VHP", contou a diretora da escola, que é conhecida como irmã Francina, à agência de notícias Compass. "Um deles abriu a sacola e jogou alguns livros na minha mesa. Então, ele perguntou por que livros cristãos estavam sendo distribuídos nas imediações da escola hindu Sadvidya".
 
Quando a irmã Francina negou ter qualquer conhecimento sobre os livros ou seu conteúdo, um outro membro do VHP entrou no seu escritório juntamente com um homem, identificado como Buta Singh, que não é funcionário da escola. Os extremistas afirmaram que Buta estava distribuindo literatura cristã atendendo à solicitação da diretora.
 
Quando Buta negou essa declaração, os extremistas puxaram-no para fora e surraram-no repetidas vezes.
 
Uma hora mais tarde, cerca de 50 pessoas entraram nas instalações da escola e começaram a ofender os funcionários, acusando-os de praticar conversões antiéticas.
 
Enquanto os extremistas ficavam cada vez mais frenéticos, um deles tentou agredir a irmã Francina. Quando os funcionários da escola chegaram para socorrê-la, os extremistas bateram neles.
 
Os agressores também danificaram uma estátua do menino Jesus na propriedade do convento.
 
Ataques aumentam

A polícia chegou e solicitou que os funcionários da escola, Buta e os extremistas fossem com eles até a delegacia. Entretanto, alguns minutos mais tarde, quando o subinspetor Shanta Ramu chegou, ele pediu que todas as partes envolvidas saíssem do furgão da polícia.
 
"Shanta disse-me que foi uma ofensa realizar atividades de conversão na escola", disse a irmã Francina. "Ele estava claramente a favor dos membros do Bajrang Dal e do VHP".
 
Desde então, mais de 50 funcionários da escola registraram queixa contra os agressores. Até o momento, a polícia deteve um membro do Bajrang Dal, identificado somente como Sanjay, por desfigurar a estátua.
 
"Ataques contra cristãos estão aumentando", contou o padre William, chanceler da diocese Mysore ao Compass. "O bispo Thomas Vazhapilly e eu reclamamos ao comissário de polícia de Mysore do crescente número de ataques no Estado. Ele assegurou-nos que as medidas necessárias seriam tomadas".
 
Sajan George, presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos, também condenou o ataque e pediu para o governo central e do Estado intervir em favor da comunidade cristã de Karnataka.
 
A escola de ensino médio, estabelecida em 1954 pelas irmãs carmelitas de Santa Teresa, tem aproximadamente mil alunos.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE