Minorias paquistanesas protestam contra aprovação de lei "talibã&

| 25/11/2006 - 00:00


A Aliança das Minorias do Paquistão (APMA, sigla em inglês) protestou contra a aprovação de uma lei na Província da Fronteira Noroeste inspirada pelo islã e que supostamente traz de volta os decretos talibãs. A lei recém-aprovada na província que faz fronteira que o Afeganistão tem sido descrita como um "motivo de preocupação para todas as outras religiões".

A APMA conta com representantes cristãos, hindus e sikhs de diferentes igrejas e denominações assim como organizações de direitos humanos e partidos minoritários. Juntos eles promoveram uma marcha pacífica em frente ao clube da imprensa de Peshawar, no dia 19 de novembro, para exigir a eliminação da lei Hasba "que busca talibanizar a província e todo país".

Em julho de 2005, a assembléia da província, dirigida pelo MMA (Mutahida Majlis-e-Amal, uma coalizão de seis partidos muçulmanos) votou a favor do projeto de lei, que estabelece a "muhtasib", uma espécie de vigia islâmico que monitora a observância do islã e da sharia.

Em setembro do mesmo ano, a Suprema Corte anulou o projeto de lei, descrevendo-o como "inconstitucional e discriminatório". No dia 13 de novembro, a assembléia aprovou emendas à lei, aderindo - de acordo com o governo local - às diretrizes da corte. Mas muitos acreditam que o risco de discriminação e de abuso que a lei permite ainda é muito alto.

Shahbaz Bhatti, líder da APMA, disse: "A lei é remanescente de leis islâmicas similares aprovadas pelo antigo regime talibã no Afeganistão, uma espada pendurada sobre as minorias religiosos e sociais".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE