Absolvidos redatores do jornal que publicou charges de Maomé

| 26/10/2006 - 00:00


O tribunal dinamarquês de Arhus absolveu hoje Carsten Juste e Flemming Rose, redator-chefe e editor de cultura do jornal Jyllands-Posten, respectivamente, devido à publicação de 12 caricaturas do profeta Maomé, em setembro de 2005.

Os jornalistas tinham sido acusados de injúria e calúnia contra os muçulmanos.

A ação foi apresentada por sete organizações islâmicas dinamarquesas, depois que o procurador-geral do Estado anunciou que não havia fundamento legal para processar o jornal por violações às leis de racismo e blasfêmia.

O juiz considerou que nem todas as charges representam Maomé e que, mesmo as mais polêmicas - como uma em que o profeta aparece com uma bomba no turbante -, não podem ser consideradas uma blasfemia ou escárnio.

Não se pode descartar que os desenhos tenham ofendido a honra dos muçulmanos, mas isso não é suficiente para supor que foram concebidos como ofensivos ou que o objetivo era depreciar os muçulmanos, afirma a sentença.

Leia mais no UOL.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE