Coréia do Norte reage a Relatório de Liberdade Religiosa dos EUA

| 27/09/2006 - 00:00


A Coréia do Norte revidou na quarta-feira as acusações de que oprime a religião ao dizer a Washington que pare de agir como se fosse o juiz religioso do mundo.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos, em seu Relatório da Liberdade Religiosa Internacional, divulgado neste mês, citou desertores e outros dizendo que a Coréia do Norte aprisionava e executava pessoas que tentavam praticar a religião.

Um artigo publicado no jornal Rodong Sinmum de Pyongyang na quarta-feira dizia: Os EUA, após o incidente de 11 de setembro, assassinou muitos muçulmanos a sangue frio em seu país, no Afeganistão e no Iraque e não hesitou em insultar e esmagar o Islã e a cultura islâmica.

Os Estados Unidos não são um "juiz religioso", mas culpado pela repressão e extermínio da religião, e que deveria ser colocado no banco dos réus em um julgamento religioso, disse o jornal, segundo uma tradução autorizada.

Essa foi a última de uma série de recriminações mútuas entre os dois países.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE