Igreja é demolida sem autorização judicial

| 07/08/2006 - 00:00


A comunidade cristã de Multan, na província central de Punjab, protestou contra a demolição ilegal de uma igreja. De acordo com a mídia local, em 4 de agosto, cerca de 150 cristãos protestaram contra a fábrica Pak-Arab Fertilizantes Ltda., que demoliu um templo protestante. Os manifestantes bloquearam a estrada Multan-Lahore por algumas horas, queimando pneus usados. Eles reivindicavam a abertura de um processo judicial contra os "réus".

Shahbaz Bhatti, presidente da Aliança das Minorias do Paquistão (APMA, sigla em inglês), condenou a "brutal" destruição da igreja e exigiu uma severa ação legal contra os responsáveis. Shahbaz Bhatti disse que a corte estava sinalizando que daria uma ordem para não prosseguir com a demolição, mas a direção da fábrica foi em frente: "Eles não tinham autorização para demolir a igreja".

Símbolo de vulnerabilidade

O presidente da APMA disse que uma mesquita que fica ao lado da igreja não foi sequer tocada. "Apenas a igreja, um símbolo da vulnerabilidade da minoria, foi vítima da intolerância desses industriais".

Um porta-voz da empresa de fertilizantes recém-privatizada declarou que a igreja, que ficava em um terreno de propriedade da companhia, foi demolida, em 3 de agosto, para "permitir que a indústria se expanda". Umair Ahmed declarou: "Não houve qualquer motivo religioso". Ele acrescentou ainda que a comunidade havia sido avisada para desocupar o templo.

Yaqoob Masih, pastor da igreja, condenou a direção da fábrica e pediu a intervenção do presidente Pervez Musharraf. O pastor disse que a direção da fábrica está agora oferecendo dinheiro como compensação, mas que a comunidade não está interessada. Ele afirmou: "Não precisamos de dinheiro. Precisamos apenas da nossa igreja".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE