Jovens são presos por “conversões forçadas”

| 26/07/2006 - 00:00


Três jovens cristãos que visitavam pacientes em um hospital - e quatro estudantes de um Colégio Bíblico, em outro incidente - foram atacados e acusados de "conversões forçadas" na semana passada, no Estado de Karnataka.

No dia 17 de julho, cerca de 20 extremistas do Hindu Sena (parte do grupo militante Rashtriya Swayamsevak Sangh) e do Bharatiya Janata Party atacaram três cristãos identificados apenas como Daniel, 17 anos, Manju, 21anos, e Umesh, 27 anos, da igreja do Evangelho Pleno. OS extremistas os acusaram de converter pacientes no Hospital Público Megan, distrito de Shimoga.

"Os extremistas levaram os três cristãos à delegacia de Doddapete, onde eles foram presos por visitar o hospital e distribuir impressos cristãos entre os pacientes" disse Albert Lael, administrador do Conselho Cristão Geral da Índia, à agência de notícias Compass.

Eles tiveram pequenos ferimentos internos, embora a polícia não tenha deixado os extremistas machucarem os acusados.

Os cristãos estavam "orando pelos doentes e confortado-os com a mensagem do evangelho", Albert falou.

Os extremistas hindu acusaram os cristãos de entrar no hospital sem permissão e, de forma fraudulenta, converter os pacientes. The New Indian Express, um jornal regional, relatou que as autoridades do hospital afirmavam que "ninguém tinha licença da administração do hospital para distribuir livros ou panfletos".

Sem comentar a acusação de não ter licença do hospital, Umesh declarou ao jornal: "Não tínhamos a intenção de converter ninguém. Apenas informávamos as pessoas sobre o cristianismo por meio de livros. Não seduzimos ninguém para se converter".

Albert disse que os cristãos foram libertados sob fiança no domingo, 22 de julho, e irão se apresentar no tribunal na próxima segunda-feira, 31 de julho.

Albert acrescentou que, logo após a libertação, a polícia foi ao pastor da igreja, Prashant Kumar, e o interrogou por mais de três horas, perguntando sobre "atividades de conversão".

Estudantes são espancados

No mesmo dia, extremistas hindu em Baglkote, outro distrito de Karnataka, agrediram quatro estudantes, identificados apenas como Jagannath, Simon, Santosh e Vijay. Eles eram do Colégio Bíblico do Gospel for Asia (Evangelho para a Ásia), no distrito de Bijapur.

Os alunos do Colégio Bíblico, que haviam trabalhado em Baglkote por mais de seis meses como parte de seu treinamento, visitaram as casas da vizinhança, distribuindo cópias da Bíblia.

Depois de voltarem aos seus dormitórios e almoçarem, Albert disse que membros do grupo extremista Rama Sena invadiram a casa e os agrediram, por volta das 16 horas.

"Então os extremistas os levaram à força para a delegacia de Galgali, com todos os livros e materiais de mídia. Tudo isso enquanto os agrediam". Segundo Albert, os quatro tiveram pequenos ferimentos.

Os extremistas reclamaram à polícia que os quatro alunos convertiam hindus ao distribuírem livros cristãos. Os policiais os prenderam imediatamente.

Albert disse que, quando os pastores da região foram à delegacia pedir a liberdade dos estudantes, um policial lhes disse: "É bom para eles ficar na cadeia. Senão, os ativistas do Rama Sena podem até matá-los".

A polícia libertou os quatro na quarta-feira, 19 de julho, depois de líderes dalits intervirem junto com os pastores.

Segundo dados do censo de 2001, há pouco mais de 1 milhão de cristãos em Karnataka, onde a população total é de mais de 52 milhões.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE