Manifestantes protestam contra repatriação de norte-coreanos

| 24/06/2006 - 00:00


Mais de 150 pessoas de reuniram em protesto em frente à embaixada da China em Londres, no dia 22 de junho. A demonstração foi organizada pela Solidariedade Cristã Mundial (CSW, sigla em inglês) e outros parceiros e seu objetivo era fazer com que as autoridades chinesas reconsiderem a política de negar status de refugiados para os norte-coreanos que cruzam a fronteira.

O protesto faz parte de uma campanha mundial que visa pressionar as autoridades chinesas a rever suas políticas. Como parte do engajamento em favor da Coréia do Norte, foram realizadas, durante esta semana, vigílias diárias do lado de fora da embaixada chinesa em Seul, na Coréia do Sul. Manifestações semelhantes aconteceram em várias cidades do mundo.

De acordo com a CSW, o protesto do dia 22 teve duração de uma hora e incluiu discursos de Stuart Windsor, diretor da organização, e de Gospatric Home, fundador e presidente da Christian Resources Exhibition.

Gospatric falou sobre sua experiência como integrante das forças da ONU durante a Guerra da Coréia. O parlamentar de Liverpool, Lord Alton, que é ligado a um grupo de auxílio à Coréia do Norte, também leu um discurso de apoio à manifestação.

Durante o protesto, foi entregue à embaixada chinesa um documento expressando as preocupações da CSW como tratamento dado aos norte-coreanos na China.

Detenção, tortura e execução

Atualmente, a China se recusa a aceitar as reivindicações de cidadãos norte-coreanos pelo status de refugiado e não permite que eles tenham acesso ao Alto Comissariado da ONU para Refugiados (UNHCR). Em vez disso, as autoridades chinesas repatriam os norte-coreanos que são encontrados dentro de suas fronteiras. Os cidadãos que retornam à Coréia do Norte enfrentam detenção, tortura e até execução.

A CSW intima as autoridades chinesas para que revejam sua política e protejam os norte-coreanos que conseguem cruzar a fronteira e permitam que eles tenham acesso ao UNHCR.

Stuart Windsor, diretor nacional da CSW, afirma: "Nesta semana, o mundo está focado na ameaça nuclear que a Coréia do Norte possa representar. Entretanto, os cidadãos da Coréia do Norte enfrentam os perigos do regime norte-coreano todos os dias. Como signatário da Convenção das Nações Unidas no que diz respeito ao status de refugiado, exigimos que a China cumpra sua obrigação de proteger os norte-coreanos que conseguem escapar de um regime repressivo como esse."

A CSW é uma organização de direitos humanos especializada em liberdade religiosa que trabalha em favor dos perseguidos por causa da fé cristã e promove a liberdade religiosa em todos os sentidos.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE