Dois irmãos são condenados por exibir um filme sobre Jesus

| 16/06/2006 - 00:00


Dois irmãos, Benjamin e John Dai, foram presos em 8 de janeiro de 2006 por ter exibido um vídeo sobre Jesus na casa de não-cristãos. A notícia da prisão foi dada pela Comissão de Liberdade Religiosa Aliança Evangélica Nacional (WEARLC, sigla em inglês). Os dois homens foram delatados por um jovem que compareceu à exibição do filme.

Na semana passada, Benjamin foi sentenciado a três anos e meio de prisão, e John foi condenado a três anos. Eles têm dez dias para apelar da sentença com a ajuda de um advogado.

Butão é um reino pequeno e isolado, cuja religião oficial é o budismo mahayana. O país foi fechado aos cristãos até 1965, mas o relaxamento das políticas isolacionistas permitiu que algumas organizações não-governamentais cristãs, principalmente indianas, entrassem no país.

Em tese, ainda que não seja realidade, a lei permite liberdade de culto. Entretanto, os cristãos precisam se submeter a regras rígidas: eles não podem construir igrejas nem se reunir livremente. O proselitismo é ilegal, mas apenas para os não-budistas.

No passado, o rei do Butão, Jigme Khesar Namgyel Wangchuck, foi acusado de promover um sério caso de limpeza étnica contra os hindus nepaleses do país. Mas, atualmente o soberano está promovendo a transição para uma monarquia constitucional.

Novas leis

A nova constituição de agosto de 2005 garante liberdade de expressão, de opinião, de pensamento, de consciência e de religião, assim como há liberdade de receber e disseminar informações, e liberdade de associação e reunião pacífica. Entretanto, há também cláusulas como o artigo 7.3: "Ninguém poderá ser compelido a pertencer a outra fé por meio coercitivos ou por indução". O artigo 7.21 dá às autoridades a possibilidade de restringir as liberdades para garantir a segurança e a harmonia nacional.

O soberano tem minimizado essas limitações e continua a afirmar a importância da liberdade e que a paz e a harmonia são de responsabilidades de todos os cidadãos butaneses. O ministro da Justiça, do mesmo modo, afirma que em uma democracia não deveria haver discriminação contra qualquer religião e que a liberdade religiosa é um direito fundamental do povo.

Assim, a prisão de Benjamin e John Dai se parece mais com algo que pertence ao passado do Butão do que ao novo curso que o rei está tentando imprimir ao país.

Por essa razão, a WEARLC tem pedido orações para que esses dois irmãos sejam soltos e para que a liberdade religiosa seja efetivamente reconhecida e que as bênçãos do Espírito Santo estejam sobre os aproximadamente 3 mil cristãos do Butão e seus ministérios.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE