Mulher acusa familiares de tentativa de conversão forçada

| 16/05/2006 - 00:00


Uma mulher da cidade de Bareilly, no Estado de Uttar Pradesh, acusou seis de seus tios e o pastor deles de tentar convertê-la à força ao cristianismo.

Os homens envolvidos disseram que as acusações são uma tentativa de vingança depois de uma disputa sobre a drenagem de um canal.

A tensão começou três meses atrás, quando Saroj Maurya, 35 anos, sobrinha de seis irmãos, que participava de encontros de oração na casa do pastor da Assembléia de Deus, Mehboob Masih, brigou com eles por causa da drenagem de um canal que passava perto da porta de sua casa.

Maurya é a filha do sétimo irmão, que faleceu há alguns anos.

Ela bloqueou o canal com um tijolo, mas depois descobriu que ele foi removido. Culpando seus tios, ela aparentemente prendeu uma de suas tias por várias horas em um acesso de raiva.
 
Um dos irmãos, que trabalha em Déli, veio para resolver a disputa. Maurya, porém, rejeitou sua intervenção e contatou os jornais com uma declaração acusando seus tios e o pastor Mehboob de tentarem convertê-la a força.

Líderes do partido Bharatiya Janata (BJP) em Uttar Pradesh imediatamente começaram uma campanha contra Mehboob.
 
Ameaças de morte

Três líderes do partido nacionalista hindu, BJP, foram à casa de Mehboob no sábado (6 de maio) e o preveniram para não continuar com os encontros de oração, disse o pastor ao Compass.

Ele mantinha um encontro de oração todo domingo em sua casa em Fateh Ganj, um subúrbio de Bareilly.

Os membros do BJP aparentemente disseram a Mehboob que ele teria o mesmo destino do missionário australiano Graham Staines e de seus dois filhos, que foram queimados vivos no Estado de Orissa em janeiro de 1999, se ele continuasse com os encontros de oração.

"Eles também disseram que se eu reunisse pessoas para oração, eles realizariam uma cerimônia hindu em minha casa", disse Mehboob.
 
Naquele dia, às 23 horas, um policial graduado da delegacia de Fateh Ganj foi à casa do pastor e ordenou que ele não realizasse a reunião no dia seguinte. De acordo com Mehboob, o policial disse que seus homens não se responsabilizariam por nenhum "incidente desagradável" - e que se algum distúrbio acontecesse, a polícia o prenderia.

Mehboob apresentou uma reclamação no domingo pela manhã, mas a polícia se recusou a dar a ele uma cópia assinada como requer a lei. Em vez disso, eles informaram ao pastor que um caso havia sido apresentado contra ele por tentativa de conversão forçada.

Quando o Compass falou com o oficial Rajesh Singh Solanki, no entanto, ele negou ter advertido a Mehboob para não manter o encontro de oração. Ele depois negou qualquer conhecimento do caso apresentado contra o pastor, alegando que o magistrado da subdivisão estava tratando disso.

"Esta é uma grande violação contra o direito de liberdade religiosa da igreja Assembléia de Deus em Bareilly", disse Jose Sam, um representante do Conselho Geral dos Cristãos da Índia (AICC) em Déli.

A igreja Assembléia de Deus é membro do AICC. Sam irá defender Mehboob das alegações feitas.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE