Decisão sobre o caso de Zhang Rongliang é adiada

| 18/04/2006 - 00:00


A corte que julga o líder de igrejas domésticas Zhang Rongliang admite que "não há evidências suficientes e há fatos ambíguos" no caso e, por isso, encaminhou-o à Corte Popular Intermediária da cidade de Zhengzhou, pedindo conselhos legais.

O Corte Popular de Zhongmu fez esse pedido depois de uma audiência de duas horas no dia 6 de abril. Nela, o reverendo, acusado de falsificar um passaporte, questionou sobre o seu direito de ter um passaporte como um cidadão chinês. Rongliang também negou a acusação de que foi responsável por "fornecer passaporte ilegal" para três de seus auxiliares.

Segundo uma pessoa que viu o pedido de ajuda legal, a corte de Zhongmu reconhece que "não há evidências suficientes e há fatos ambíguos" no caso de Rongliang.

Um dos auxiliares do reverendo disse que o tribunal de Zhengzhou deve dar uma resposta ao tribunal de Xinmi até o dia 24 de abril. Se não for assim, eles deverão esperar mais um mês para receberem o veredicto da corte.

Rongliang está sob custódia na cidade de Zhongmu.

Preso há 12 anos

Zhang Rongliang é um líder importante do movimento de igrejas domésticas China para Cristo. O movimento era conhecido antes como "Fangcheng", mas Rongliang lhe deu outro nome em outubro de 2004. Durante uma audiência em 2005, ele afirmou que o movimento contava com 10 milhões de pessoas, mas outros acreditam que esse número seja de um milhão.
 
Rongliang também foi o co-autor de uma "Confissão de Fé" das igrejas domésticas, escrita em 1999, que pediu clemência durante uma opressão generalizada do governo contra "seitas".

O reverendo, de 55 anos, foi preso pela polícia de Henan sem acusações no dia 1º de dezembro de 2004. Alguns meses mais tarde ele foi acusado de "fornecer passaportes falsos" e por "travessia ilegal de fronteira". As autoridades chinesas sempre negam passaportes a líderes conhecidos de igrejas domésticas.

Problemas de saúde como diabetes e hipertensão arterial pioraram enquanto ele permanecia sob custódia. Rongliang já havia sido detido cinco vezes e passou um total de 12 anos na prisão por suas atividades religiosas.

Rongliang sofre de diabetes há seis anos e de hipertensão arterial há quatro anos. Ele passou a maior parte do seu tempo no hospital desde o dia 19 de dezembro de 2005, mas as autoridades acreditam que ele está bem o suficiente para participar da audiência.

Depois de sua prisão, as autoridades confiscaram DVDs e outros materiais cristãos da de sua casa, material que o ligou a cristãos estrangeiros. Contato com religiosos estrangeiros pode ser uma atividade ilegal na China.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE