Egípcio copta encontra irmã desaparecida em casa de muçulmanos

| 05/04/2006 - 00:00


Depois de três meses de buscas, um cristão egípcio encontrou sua irmã desaparecida perto de sua cidade natal, morando com uma família muçulmana e professando a fé islâmica.

Alertado por uma rápida mensagem telefônica de Theresa Ghattass Kamal dizendo que ela estava retida contra sua vontade e sendo forçada a se converter ao islamismo, Saeed Ghattass Kamal rastreou os raptores de sua irmã até a área beduína do deserto em El-Gaar, perto de sua casa em Wadi El-Natroun, 50 milhas a noroeste do Cairo.

Moatazz Mohammad Saeed primeiramente recusou que Kamal visse sua irmã quando o cristão chegou a sua casa no dia 23 de março. Em seguida ele se acalmou, depois que Kamal insistiu que ele só queria ter certeza de que sua irmã estava segura.

Apenas com os olhos aparecendo através do véu e cercada por Moatazz, seus dois irmãos e seu pai, Theresa Kamal se sentou com seu irmão por 90 minutos, mas só falou uma vez, disse Kamal.

"Eu me converti ao islamismo. Eu encontrei o caminho certo", ela disse de modo autômato a seu irmão com uma voz titubeante.

Mas, de acordo com Kamal e seu advogado, Athanasius William, a conversão da cristã ainda não está registrada no Centro Islâmico Al-Azhar no Cairo. A lei egípcia exige que todas as conversões sejam registradas em Al-Azhar e depois validadas com a polícia, a Investigação de Segurança do Estado (SSI, sigla em inglês).

O advogado disse ao Compass que Theresa Kamal, 19 anos, não cumpriu o pré-requisito legal de se encontrar com um padre copta pelo menos uma vez antes de se converter ao islamismo. "Se ela realmente escolheu se converter ao islamismo, por que não participou da sessão de aconselhamento exigida?", perguntou o advogado.

O advogado disse que, se os "seqüestradores" de Theresa Kamal tentassem registrar sua conversão, ele contestaria o pedido com base legal. Enquanto isso ele disse que "o conluio das autoridades de segurança" estava tornando impossível até mesmo verificar se a jovem cristã deixou a escola na Academia de Secretariado do Cairo por sua própria vontade para morar com a família Saeed.

Autoridades negam ajuda

Mesmo com as irregularidades na conversão de Theresa Kamal, a SSI se recusou a ajudar Kamal a encontrar sua irmã, desaparecida desde 3 de janeiro.

A polícia finalmente prometeu à família Kamal um encontro com Theresa, mas apenas depois que coptas em Wadi El-Natroun fizeram um protesto pacífico de três dias em frente à central da polícia em meados de janeiro.

Mas em 17 de janeiro, em encontro com a SSI na capital de província de Demnhoor, o oficial Tarek Haykal amaldiçoou Kamal e o expulsou do escritório, recusando a permissão para o cristão ver sua irmã.

Haykal disse a dois padres que Theresa Kamal se converteu por sua vontade e que ela queria se encontrar com um padre em breve para sua sessão de aconselhamento pré-conversão. De acordo com Kamal e William, essa promessa ainda não foi cumprida.

A família Kamal reiniciou sua busca por Theresa Kamal depois que ela telefonou rapidamente para sua tia em 24 de janeiro. A jovem disse que estava sendo mantida contra sua vontade, mas que ela ainda não havia sucumbido às exigências de seus raptores para se converter ao islamismo.

Kamal notificou as autoridades que ele havia rastreado a ligação de sua irmã e a origem era um apartamento no distrito de Shubra, no Cairo. Oficiais da SSI local se negaram a encontrar o cristão pessoalmente, mas disseram a ele por telefone que Theresa Kamal não estava em uma casa de Shubra.

Kamal finalmente seguiu a pista de sua irmã até a família Saeed, em Wadi El-Natroun. Wadi, uma depressão no deserto 25 metros abaixo do nível do mar e de 50 quilômetros de extensão, é densamente povoada por coptas e é o lugar de quatro monastérios coptas.

"Eu sou seu irmão e sempre serei"

De acordo com Kamal, quando ele visitou a família Saeed pela primeira vez, na noite do dia 23 de março, o pai de Saeed disse a ele: "Sua irmã está se tornando oficialmente muçulmana e então ela não é mais cristã e também não é mais sua irmã".

Saeed acrescentou: "Você notificou a polícia, mas ninguém tomou providência com relação ao caso de sua irmã e nem tomará".

"Ela sempre será minha irmã, mesmo que ela mude de religião", respondeu Kamal. "O que realmente me interessa é a segurança dela."

A família Saeed cedeu a essa resposta e permitiu que ele fosse visitar a irmã, disse Kamal ao Compass. Ele disse que durante uma hora e meia sua irmã só falou uma vez sob o véu, para dizer que tinha se convertido ao islamismo.

Duvidando da sinceridade da conversão de sua irmã e esperando deixar uma porta aberta para seu retorno, Kamal disse à irmã antes de sair: "Eu sou seu irmão e sempre serei. Se você precisar de alguma coisa, venha a minha casa onde você será bem-vinda".

Conversões por seqüestro

Relatos de seqüestros e conversões forçadas de jovens cristãs são comuns entre a comunidade copta do Egito. Algumas moças cristãs são atraídas por jovens muçulmanos e voluntariamente deixam suas famílias e se convertem ao islamismo para escapar da pobreza e de situações difíceis em suas famílias.
 
Mas "existem relatos confiáveis que autoridades governamentais fracassaram em cooperar com famílias cristãs que tentam reaver a custódia de suas filhas", relatou o Departamento de Estado Americano no seu último Relatório Internacional sobre Liberdade Religiosa no Egito.
 
Sem a cooperação da polícia, famílias sentem dificuldade de verificar os motivos das conversões. A menos que a convertida tenha menos de 18 anos, a idade legal para conversões, a polícia geralmente se recusa a recuperar a mulher desaparecida dizendo que ela não quer ver sua família.

Nos últimos anos, tanto famílias muçulmanas quanto cristãs na área rural do Egito têm abusado e algumas vezes assassinado suas filhas em nome da honra - se eles acreditarem que as jovens tenham se comprometido sexualmente.

Cristãos coptas são 10% da população do Egito. Enquanto é ilegal para muçulmanos egípcios se converter ao cristianismo, conversões ao islamismo depois de seqüestros têm sido objeto de discussões no país.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE