Igrejas pedem fim das limitações a viagens de religiosos para Cuba

| 23/03/2006 - 00:00


A agência internacional de ajuda humanitária Serviço Mundial de Igrejas (SMI) encabeçou delegação de líderes religiosos que propôs a um grupo de congressistas e funcionários do governo norte-americano, na quarta-feira, 15, o cancelamento das medidas restritivas a viagens de religiosos para Cuba.

Os líderes religiosos pediram que terminem com as limitações impostas pelo Departamento de Estado e pelo Departamento do Tesouro nas viagens de trabalho eclesiástico que empreendem em suas viagens até a Ilha. Eles qualificaram tais restrições de tentativas de restringir a liberdade religiosa.

Participaram da reunião o diretor executivo do SMI, John McCullough; o secretário geral associado do Conselho Nacional de Igrejas, Tony Kireopoulos; Raquel Rodríguez, da Igreja Evangélica Luterana; Tricia Lloyd-Sidle, da Igreja Presbiteriana; Stan Hastey, da Aliança Batista; Félix Ortiz-Cotto, da Igreja Unida de Cristo e dos Discípulos de Cristo; Jorge Domingues e Jerald McKie, da Igreja Metodista Unida.

John McCullough também enviou cartas pedindo o fim das restrições à secretária de Estado, Condoleeza Rice, e ao secretário do Tesouro, John Snow. As cartas foram assinadas por 11 dirigentes das mais importantes organizações protestantes.

A controvérsia gira em torno da decisão dos departamentos de Estado e do Tesouro, que limitam a emissão de permissões amplas para representantes de agências e organismos eclesiásticos nacionais em suas viagens a Cuba.

Desanima-nos, e ainda mais, indigna-nos a perda dessas permissões, porque vemos isso como uma injustificada interferência e obstáculo à missão da igreja, e demandamos pelos direitos de nossas igrejas e organizações ecumênicas a continuarem nossa obra histórica em Cuba ; estes devem ser restaurados, protegidos e respeitados, disse McCullough.

O diretor do SMI acrescentou que a missão da igreja transcendeu longamente as ideologias políticas e as mudanças de governo, tanto em Cuba como em outras partes do mundo.

Desde 2004, a administração norte-americana adotou uma série de ações que restringem as viagens de cubanos-americanos que desejam visitar familiares em Cuba. As restrições também abrangem cientistas, pesquisadores acadêmicos, estudantes, e agora os organismos religiosos nacionais.

Nossa missão é clara: alimentar os que têm fome, cuidar dos órfãos e viúvas, confortar os enfermos e visitar os encarcerados. Temos sido amplamente uma expressão central do espírito americano de compaixão e de resposta em momentos de desastres naturais, sublinhou McCullough.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE