Igrejas domésticas são alvos de batidas policiais

| 16/03/2006 - 00:00


O pastor Georgi Viazovski, da Convenção Batista, foi libertado da prisão de Minsk no dia 13 de março. Ele havia sido condenado a dez dias de prisão por ter realizado um culto em sua própria casa. (Leia essa notícia aqui).

Mantido em celas que tinham de cinco a 13 detentos, o pastor disse que tanto eles como os carcereiros ficaram "surpresos" ao saberem que ele estava lá por ter realizado uma atividade religiosa. "Eles nunca tinham visto um caso desses antes - um dos funcionários disse que os juízes devem ter ficados doidos."

Segundo a agência de notícias Forum 18, o pastor Georgi é a primeira pessoa a ser presa no território de Belarus por ter realizado um culto religioso. Mas mesmo assim, pelo menos mais um caso desses está em destaque.

Outro pastor batista, Vladimir Bukanov, disse ao Forum 18 que cerca de 30 membros de várias igrejas protestantes se reuniram às 11h30 do dia 13 de março para encontrarem o pastor Georgi. Mas eles foram afastados da prisão de forma rude pela polícia, enquanto 20 policiais especiais ficaram do lado deles.

Uma combinação de restrições contidas no Código de Violações Administrativas e da lei religiosa de 2002 bane tudo, menos reuniões ocasionais e pequenas em casas. Também não são proibidas atividades religiosas fora dos locais designados para o culto, a menos que tenha recebido uma autorização prévia das autoridades.

O réu primário é punido tanto por um aviso ou por uma multa (de 20 a 150 salários mínimos) ou por prisão de três a 15 dias. A recorrência do delito no prazo de um ano corrente é punida pela mesma multa e pela prisão, de dez a 15 dias.

No dia 25 de novembro de 2005, o tribunal do município de Partisan mandou um aviso ao pastor Georgi, depois de a polícia checar dois cultos em sua casa. O tribunal do município de Minsk rejeitou um apelo contra a decisão do tribunal de Partisan, no dia 10 de janeiro de 2006. Depois de uma invasão de um culto em sua casa em Minsk, o pastor Georgi foi sentenciado no dia 3 de março.

Ele confirmou que não houve outras tentativas de processar membros de sua igreja desde a sua condenação.

Mas a agência Forum 18 foi informada de que um bispo cristão da região de Minsk também foi ameaçado pelo mesmo motivo. Sergei Tsvor, também vice-presidente da União Pentecostal e pastor da Igreja Boas Novas, disse que a polícia visitou sua casa onde uma congregação de cem pessoas se reúne. Quando um policial redigiu um protocolo contra o bispo, baseado no fato de que o pastor não tinha o direito de liderar uma reunião, o pastor lhe disse que não era uma reunião, mas um culto.

Sergei também confirmou que a Igreja Boas Novas está registrada de acordo com a lei religiosa de 2002. Embora a mesma lei proíba reuniões freqüentes e grandes em casas, algumas organizações religiosas conseguiram se registrar usando o endereço de residências.

Intimado para uma audiência no tribunal do município de Minsk no dia 9 de março, Sergei disse que o juiz estava ocupado com outro caso e lhe disse que o intimaria de novo. Desde então, ele não foi informado de mais nada.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE