Festival termina com pedido por lei anticonversão

| 14/02/2006 - 00:00


Os oradores do festival Shabri Kumbh, um evento de "reavivamento" organizado por extremistas hindus, incentivaram os tribais cristãos a se "reconverterem" ao hinduísmo. O festival, realizado durante o fim de semana no distrito de Dangs, Estado de Gujarat, terminou com a aprovação de uma resolução que pede para o governo indiano decretar uma lei anticonversão.

Não houve tentativas de reconversão nem ataques a cristãos tribais - em parte devido à forte presença policial e paramilitar na área.

Os organizadores estimaram um total de 300 mil hindus presentes nos três dias de encontro. Houve uma presença de 100 mil no primeiro dia.

Morari Bapu, clérigo hindu popular de Gujarat, disse em seu discurso de abertura que o objetivo do encontro não era converter as pessoas, mas "reavivar o hinduísmo".

Morari tornou sua afirmação mais clara ao falar que a reconversão de cristãos tribais não era uma conversão; era, em vez disso, uma volta ao hinduísmo. Mais tarde ele pediu, no mesmo discurso, para os cristãos tribais se reconverterem ao hinduísmo.

Praveen Togadia, secretário-geral do grupo Vishwa Hindu Parishad (VHP ou Conselho Hindu Mundial), disse que a conversão dos tribais ao cristianismo havia sido uma conspiração para abolir o hinduísmo. Ele falou que o VHP não iria tolerar mais as conversões.

Ao mesmo tempo, ele notou que o hinduísmo está crescendo fora da Índia. Praveen disse que, se o hinduísmo continuar aumentando no Ocidente nesse ritmo, um dia até o Vaticano vai se tornar hindu.
No fechamento do evento, no dia 13 de fevereiro, os organizadores aprovaram uma resolução que pedia ao governo indiano para decretar uma lei anticonversão em todo o país, a fim de evitar conversões, provavelmente ao cristianismo, nas áreas tribais.

A atmosfera em Dangs

Um policial de Gujarat disse que os moradores de Dangs não ficaram contentes com o evento.

Segundo ele, a maioria dos moradores ficou dentro de casa e não participou. A maior parte das pessoas de Dangs que foram ao encontro era formada por gente muito pobre, que recebeu dinheiro, comida e transporte grátis dos organizadores.

O festival foi realizado em um terreno de seis acres. De um lado foi construído, especialmente para o evento, um templo de Shabri Mata. Do outro lado, foi criada uma fonte sagrada, a Pampa Sarovar. As pessoas se moviam entre esses dois marcos, e muitos criam que um mergulho no Pampa traria perdão aos seus pecados.

As reuniões principais aconteceram na vila de Subri. Em todas essas reuniões os membros do VHP e do grupo Rashtriya Swayamsevak Sangh gritavam palavras de ordem que chamavam os hindus a ir às armas contra os cristãos.

Livros anticristãos foram exibidos em diversas bancas próximas do Pampa Sarovar. Os títulos (traduzidos) incluíam Esquemas ocultos de missionários cristãos e Procurando Dangs.

A polícia de choque estava de guarda nas igrejas e nos templos da área, mas a maioria dos cristãos permaneceu dentro de casa, temendo explosões de violência.

O reverendo Paul Jeyasingh, líder cristão importante em Gujarat, disse ter visitado quase todas as vilas nas imediações do festival, e pareceu que nenhum ataque ou reconversão aconteceram.

"Quando eu visitei o encontro, notei que a maior parte das pessoas vinha de fora de Dangs. Elas eram analfabetas e vinham da área rural. Eram pessoas que seriam facilmente influenciadas pelos discursos", o pastor disse à agência de notícias Compass.

O reverendo Paul temia que alguns dos participantes pudessem ficar em Dangs depois do encontro e atacar a minoria cristã, mas não foi relatado nenhum ato de violência.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE