Cristãos são atacados e casas são queimadas em Orissa

| 26/01/2006 - 00:00


Um pastor e seu primo, acusados de tentativa de conversão forçada na vila de Matiapada, Estado de Orissa, foram libertados sob fiança ontem, enquanto cinco aldeãos hindus, acusados de assaltar e incendiar a casa do pastor, continuam sob custódia.
 
O problema começou em 15 de janeiro, quando aldeãos hindus "ofenderam e agrediram Rabindra Mallick, o irmão mais novo do pastor Kulamani Mallick, sem provocação quando ele voltava de um mercado para casa", disse o reverendo Dandia Basi Hrudaya, secretário do escritório do Conselho Cristão Toda a Índia (AICC - All India Christian Council), em Orissa.
 
Na manhã de 16 de janeiro, um grupo de 15 aldeãos armados com paus atacou a casa do pastor Kulamani e agredindo-o e os membros de sua família. O pastor e dois outros parentes precisaram ir ao hospital, por causa de pequenos ferimentos.
 
Quando a família fugiu, os hindus atearam fogo na casa. Sete casas adjacentes também pegaram fogo e foram destruídas; seis das oito casas destruídas pertenciam a cristãos.
 
Há apenas nove famílias cristãs na vila, cuja população total é de 70 famílias.
 
O pastor Dandia disse que os hindus ameaçaram diversas vezes a minoria cristã antes de atacá-la. Ele disse que os aldeãos foram influenciados pelo Conselho Mundial Hindu (VHP - Vishwa Hindu Parishad), um grupo extremista ativo na região.
 
Contra-acusações

Um pouco mais tarde, naquele mesmo dia, uma mulher chamada Kabit Mallick deu queixa contra o pastor e dois parentes dele, ambos recém-convertidos, alegando que eles tentaram forçá-la a aceitar a fé cristã.
 
Os aldeãos também afirmaram que os cristãos atearam fogo em suas próprias casas.
 
Antes das cinzas das casas esfriarem, membros do Bajrang Dal - a ala jovem do VHP - alegaram que missionários cristãos estavam torturando hindus em Orissa, como uma forma de convertê-los ao cristianismo.
 
Tanto aldeãos cristãos como hindus deram queixas na polícia; os cristãos citaram 14 agressores. A polícia prendeu então cinco hindus: Ramesh Mallick, Gandarbha Mallick, Bandhua Mallick, Suman Mallick e Baga Mallick.
 
A corte do distrito acusou depois os cinco homens de destruir uma propriedade por meio de fogo e rejeitou os pedidos de fiança.
 
A polícia também prendeu o pastor Kulamani e seu primo Gunanidhi Mallick pelas acusações de conversão forçada. O magistrado local da corte rejeitou um pedido de fiança para os cristãos em 18 de janeiro, mas a corte do distrito lhes concedeu o pagamento da fiança em 24 de janeiro.
 
Os cristãos em Maliapada dizem que o delegado Jagannath Pareda, titular da delegacia, se esquivou de acusar os agressores por destruição de propriedade por fogo. Diz-se que Jagannath  apóia o VHP.
 
Pareda e o superintendente de polícia do distrito de Jajpur não se dispuseram a comentar as declarações.
 
O reverendo Pran Ranjan Parichha, presidente do AICC de Orissa, escreveu para o ministro chefe de Orissa, Naveen Patnaik, em 20 de janeiro, pedindo-lhe para garantir compensação e reabilitação para os aldeãos que perderam suas casas. Esses aldeãos continuam sem moradia, comida ou roupas.
 
O reverendo também pediu "uma solução definitiva" para esses repetidos ataques contra os cristãos no Estado.
 
Em outra carta escrita para o coletor de Jaipur, Pran pediu proteção policial para os cristãos de Matiapada "até que a normalidade seja restituída.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE