Vietnamitas presos por visitarem site dedicado à liberdade religiosa

| 21/12/2005 - 00:00


Tuan, Huy e Lisa Pham ainda estão detidos no Vietnã por visitarem, no fim de outubro, uma sala de bate-papo dedicada à liberdade religiosa. No dia 17 de dezembro a organização francesa Repórteres sem Fronteiras exigiu sem sucesso a libertação deles.

Tuan e Huy são os cunhados de Lisa Pham, noiva de Nghia, o irmão mais velho deles. Nghia foi preso com o grupo, mas foi libertado logo.

A mãe dos rapazes recebeu um documento oficial afirmando que eles e Lisa foram acusados de violar o Artigo 19 do código criminal, incitando a população a "derrubar o governo". O ativista Anthony Nguyen, amigo da família, é também o moderador da sala de bate-papo e nega as acusações. Ele disse que "o crime de tentar executar um golpe de estado" é "apenas uma falsa acusação que as autoridades comunistas do Vietnã sempre usam para sufocar o direito de liberdade de expressão das pessoas".

Anthony também falou que 50 policiais estavam envolvidos na invasão à casa de Huy e que, por alguma razão, também detiveram os outros dois irmãos e a jovem. Segundo ele, os quatros visitavam regularmente a sala de bate-papo. Os outros visitantes da sala, conforme Anthony, provêm de diferentes países. Eles têm liberdade para expressar suas opiniões favoráveis ou contra o comunismo. O moderador disse que, às vezes, os visitantes só descrevem as dificuldades pelas quais passam, ou falam sobre como a vida melhorou em países democráticos.

O grupo Repórteres sem Fronteiras declarou que "se esses usuários de internet continuarem presos por participar de fóruns de discussão on-line, faremos o que for possível para conseguir a sua liberdade".

As autoridades vietnamitas não comentaram o caso, mas negaram qualquer abuso aos direitos humanos.

A internet vietnamita tem se desenvolvido desde 1997 sob o controle estrito do Partido Comunista. Em setembro de 2000, o regime propôs uma nova fórmula de acesso, independente de licença. Mas, conforme o Repórteres sem Fronteiras, o acesso era restrito a sites vietnamitas.

A oposição aos fóruns de liberdade religiosa surgiu em meio à preocupação internacional com os ataques contra os cristãos que expressam a sua fé, em especial aqueles do planalto central do país.

O grupo Montagnard Foundation, defensor dos direitos dos montagnards, disse que o governo vietnamita aumentou a vigilância e a intimidação aos cristãos montagnards a fim de impedi-los de celebrar o Natal. As advertências, que começaram em novembro deste ano, envolvem soldados ocupando vilas de montagnards, com ameaças de prisão e tortura para aqueles que celebrarem o Natal. No momento, há mais de 300 montagnards presos e torturados pelas autoridades vietnamitas.

O povo degar - chamados de montagnards pelos colonizadores franceses - é o povo indígena do planalto central do Vietnã. O termo "montagnard" significa "povo da montanha".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE