Cristãos oram pelos dalits

| 17/10/2005 - 00:00


À medida que se aproxima a data da audiência na Suprema Corte Indiana, a respeito da igualdade de direitos para os cristãos dalit, o presidente de uma missão bastante presente na Índia convoca os cristãos de todo o mundo a se unirem em dois dias de jejum e oração.

Os defensores dos cristãos dalit foram encorajados pelo resultado recente de uma audiência com o Congresso do EUA em 6 de outubro, patrocinada pela Rede de Liberdade Dalit, em Washington, D.C. A conferência foi a respeito da discriminação severa e das violações de direitos humanos que os dalits enfrentam. O presidente do congresso mostrou-se preocupado e chocado com a severidade da perseguição que eles suportam todo dia.

"Manter quase um quarto da população em condições subumanas não é só uma violação grotesca dos direitos humanos como também uma fórmula para a estagnação econômica e política", disse Christopher H. Smith, o congressista que presidiu a audiência.

"Como a maior democracia do mundo, a Índia deve melhorar radicalmente essa situação terrível", Christopher notou.

Se o resultado da audiência do dia 18 de outubro for favorável aos cristãos dalit, a minoria "intocável" da Índia receberá direitos humanos básicos, como igualdade de trabalho, educação e outros direitos que dalit hindus, sikhs e budistas têm.

K.P. Yohannan, presidente e fundador do Gospel for Asia (GFA - Evangelho para Ásia), encoraja todos os cristãos a jejuar e orar na segunda-feira e terça-feira, 17 e 18 de outubro, já que a audiência da corte pode mudar de maneira drástica as condições dos cristãos dalit.

"Por meio de nosso jejum e oração, estamos nos colocando na brecha", disse Yohannan a AgapePress. "E isso é preciso para interromper o mal e fazer o trabalho ir adiante".

Ademais, Yohannan diz que o caso é importante não apenas porque estenderá a igualdade aos cristãos dalit, mas também porque é capaz de facilitar a conversão dos dalit ao cristianismo. Sob a lei atual, os que se convertem ao cristianismo perdem quase todos os direitos.

Há cerca de 300 milhões de dalit na Índia, e a proposta pode protegê-los da perda dos direitos básicos ao se converterem ao cristianismo, vencendo a hesitação que há por causa da opressão anticristã.

Yohannan tem esperanças de que essa lei seja aprovada na audiência da próxima terça-feira e menciona que a consciência, cada vez maior, da opressão que os dalit suportam ajudará em sua causa.

"Isso, sem dúvida, vai acontecer porque vem uma pressão tremenda de todos os lados", comentou. "E eu acho que eles não podem dizer "não" especialmente com o mundo entrando em cena", Yohannan disse, fazendo menção à conferência.

O presidente do GFA lembrou aos cristãos a importância de jejuar e orar durante uma situação como essa.

"O próprio Jesus disse que essas circunstâncias precisam de jejum e oração", Yohannan disse a AgapePress. "Não estamos lidando apenas com uma pessoa endemoninhada; trata-se de milhões e milhões que devem decidir e não sabem o que fazer, e forças satânicas querem levá-los ao inferno. Precisamos acordar, deixar nossa comida e bebida e clamar a Deus agora pelo bem dessas pessoas".

O GFA, que tem seguido e reportado a situação dos cristãos dalit na Índia, é uma organização que treina e envia missionários nativos às mais remotas áreas não-alcançadas da Ásia.

Texto enviado por Daila Fanny.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE