Portas Abertas monitora perseguição ao cristianismo

| 23/07/2005 - 00:00


Numa área retangular que se estende do oeste da África até a Ásia, entre os paralelos 10 e 40 ao norte do Equador, na assim chamada Janela 10/40, vivem 1,6 bilhão de hindus, muçulmanos e budistas, e apenas 2% de cristãos. Nessa área é onde se verifica a maior incidência de perseguição aos cristãos.

Coréia do Norte, Arábia Saudita, Vietnã, Laos e Irã são os cinco países, nessa ordem, mais fechados ao evangelho e onde se verifica o maior grau de intolerância em relação ao cristianismo. O levantamento, semestral, é da organização Portas Abertas, que comemorou 50 anos de existência no dia 15 de julho passado.

Na classificação por perseguição neste primeiro semestre de 2005, de acordo com Portas Abertas, aparecem três paises americanos: Cuba, na vigésima sexta posição, o Sul do México, na trigésima primeira posição, e as áreas de conflito na Colômbia, na trigésima sexta posição.

O dia 15 de julho de 1955 marcou a primeira viagem do missionário holandês Irmão André à Polônia, quando, convidado para o Festival da Juventude Comunista, ficou impressionado com o entusiasmo e a devoção de jovens a um credo sem deus. Irmão André sentiu-se, então, chamado por Deus para servir cristãos em países sob restrição ou discriminação ao cristianismo.

Ele passou a levar, viajando de Fusca (carro popular da Volkswagen), carregamento de Bíblias à igreja polonesa. Dois anos depois, Irmão André empreendeu viagem à União Soviética, contrabandeando Bíblias.

Suprir de Bíblias e literatura cristã igrejas perseguidas na Cortina de Ferro foi uma das atividades marcantes da missão Portas Abertas, ações registradas no livro O contrabandista de Deus, lançado pelo Irmão André em 1967. Hoje, ele tem dez livros escritos, muitos deles traduzidos para vários idiomas.

Portas Abertas trabalha em cerca de 50 países, fiel à sua tarefa primeira, a de fornecer Bíblias onde a Igreja é perseguida. O ensino da Bíblia é o centro do seu ministério. O que mudou foi o foco geográfico: deixou de priorizar a Europa Oriental e passou a se concentrar em países da Janela 10/40.

Por questão de segurança, o site da missão Portas Abertas no Brasil não mostra imagens do Irmão André, nem comenta a respeito de sua identidade e nome completo. Mas informa que o fundador da missão ainda está ativo em audaciosos e novos programas no Oriente Médio e em outros pontos de tensão, como o Paquistão e o Sudão.

Em 1997, Irmão André recebeu o Prêmio Liberdade Religiosa, da Associação Evangélica Mundial. A Portas Abertas já enviou mais de 1 milhão de Bíblias para a China, distribuiu cinco milhões de literatura cristã na América Latina, 1 milhão de Novos Testamentos na Rússia, em cooperação com a Igreja Ortodoxa Russa, e 50 mil Bíblias na Albânia, traduzidas para o albanês, país que se declarava ateu.

Embora a distribuição de Bíblias seja o centro da atividade missionária de Portas Abertas, ela desenvolve projetos de ajuda com alimentos e remédios para o Sudão e o Iraque. Também apóia a capacitação de lideranças religiosas em países onde cristãos são perseguidos e conta com uma rede internacional de oração.

Portas Abertas define-se como a única missão que investe em fortalecer a já existente igreja local cercada pela opressão do inimigo. Portas Abertas tem uma base no Brasil desde maio de 1978. O escritório principal da organização fica na Holanda.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE