Análise da atividade social dos evangélicos

| 04/05/2005 - 00:00


Segundo o diretor da FLACSO, nas décadas de 80 e 90 a expansão da igreja evangélica acompanhou a expansão da pobreza e a desesperança no Equador e em outros países latino-americanos.

A pesquisadora Mares Sandoval Vizcaíno, mestre em antropologia pela FLACSO, disse que nas últimas décadas a igreja evangélica alcançou grande difusão e aceitação nos países latino-americanos, e especificamente no Equador.

Chama a atenção, disse Sandoval, a capacidade de organização, o crescimento de serviços sociais dedicados a cobrir as necessidades em setores populares nas áreas de educação, saúde, atenção à mulher e à infância, entre outros.

Por outro lado, anotou, os evangélicos exercem um trabalho de termômetro, porque seus programas sociais estão imersos na realidade. A antropóloga ressaltou o valor da fé como facilitadora de experiências de conversão, capaz de provocar mudanças comportamentais, melhorando a qualidade de vida daqueles que se convertem à fé evangélica.

Segundo a pesquisa da antropóloga Sandoval, os casais e as famílias tiveram mudanças benéficas nas relações entre marido e mulher, e estes com os filhos e filhas, especialmente naquelas famílias que receberam ajuda no campo da violência intrafamiliar e de vício com o álcool e as drogas.

O gerente de programas de Compasion - Equador, pastor e missionólogo César Parra, afirmou que temos progredido em nossos paradigmas de ministério social, ministérios de desenvolvimento social e missão integral, o que agora chamamos programas de transformação social.

As pesquisas e exposições dos cientistas sociais mencionados convidam a reavaliar o fator da fé não como um mecanismo de opressão intelectual, mas como um fator tangente e responsável pelo desenvolvimento social e espiritual.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE