Pressão crescente aos protestantes em Karakalpaquistão

| 01/03/2005 - 00:00


Em Nukus, o centro da república autônoma de Karakalpaquistão, ao noroeste do Uzbequistão, crentes protestantes sofrem pressão de várias formas. Um estudante protestante do último ano de medicina, Ilkas Alsungarov, foi expulso do instituto médico. Formalmente, a razão de sua expulsão foi falha acadêmica, mas muitos acreditam que foi por causa de seus credos religiosos. Em abril de 2004, o promotor da cidade tentou expulsá-lo, já que ele pertencia a uma "seita religiosa ilegal". Membros da igreja comentaram que é impossível provar alguma coisa. "Minha filha era uma boa aluna, mas desde que a campanha contra alunos protestantes teve início, ela começou repentinamente a ir mal na escola", um dos membros da igreja reportou ao Forum 18.

De acordo com relatos de cristãos locais, as autoridades parecem aplicar uma nova estratégia para intimidar os grupos não-registrados. Ao invés de organizar ataques à congregação, os membros são chamados individualmente à delegacia, interrogados e pressionados a assinar um documento que declara que são membros de uma seita religiosa.

Em outro caso, Murat Abatov, um recém-convertido de Ornek, perto de Nukus, foi publicamente forçado a renunciar sua fé durante uma reunião especial. Quando ele se recusou, foi ameaçado de ter confiscadas suas terras arrendadas. Os líderes na vila ordenaram aos habitantes para afastar-se dele, porque ele é considerado um "wahhabi" (seguidor de uma vertente islâmica que interpreta o islamismo de acordo com Muhammad Ibn Abd al-Wahhab, reformador religioso do século 18).

Pastores uzbequistaneses pediram as nossas orações por sua jovem igreja em Karakalpaquistão.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE