País decide libertar um sacerdote e outros cinco presos políticos

| 05/02/2005 - 00:00


Um conhecido dissidente no Vietnã, o sacerdote católico Thadeus Nguyen Van Ly --de 59 anos--, condenado inicialmente a 15 anos de prisão e 5 de prisão domiciliar sob a acusação de ter ameaçado a segurança nacional, foi libertado essa terça-feira da prisão de Bao Sao, 50 quilômetros ao sul da capital, Hanói.

Confirmando a notícia de sua libertação, a agência missionária «Misna» recorda que a favor desta decisão se mobilizaram muitos ativistas dos direitos humanos.

O padre Van Ly enviou em 2001 uma carta ao Congresso americano para pedir um atraso na ratificação dos acordos comerciais bilaterais entre os EUA e o Vietnã citando as violações dos direitos humanos cometidas pelo país asiático e as perseguições religiosas.

O sacerdote foi detido e condenado em outubro desse mesmo ano. A pena se reduziu em 2003 a 10 anos. Em junho passado, um tribunal local ordenou rebaixá-la a 5 anos de prisão e manteve os 5 anos de prisão domiciliar (Cf. Zenit, 18 de junho de 2004).

Ao sair da prisão, o padre Ly foi acompanhado por um carro da polícia a sua cidade de origem, na província de Thue Thien-Hue. Não está claro se terá de cumprir prisão domiciliar.

A libertação do padre Ly se situa na anistia que todos os anos o governo concede com ocasião do Ano Novo lunar --em 9 de fevereiro próximo--.

As autoridades anunciaram a libertação de mais de 8 mil detentos, entre eles seis prisioneiros de consciência, ou políticos --um é o padre Ly--, inclusive dois budistas. Entre os beneficiados pela medida há trinta estrangeiros.

6 milhões de católicos se contam entre os 7 milhões de cristãos de Vietnã, cuja população --de 80 milhões de pessoas-- registra 50 milhões de budistas e 4 milhões da religião de Cao Dai.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE