Crianças do Iraque vivem o Natal entre a esperança e o temor

| 21/12/2004 - 00:00


Enquanto em quase todo o mundo as crianças aguardam os brinquedos com os quais serão presenteadas pelo Menino Jesus neste Natal, as crianças iraquianas querem apenas o cessar da guerra e da violências, na expectativa de poderem satisfazer suas necessidades e recuperar a esperança no futuro.

Quero dormir sem medo e sem que os helicópteros rujam sobre o nosso bairro à noite, disse Maro, uma menina de nove anos que vive em Bagdá. Cubro minha cabeça com o cobertor, mas continuo ouvindo-os, relatou.

Voluntários do Conselho de Igrejas do Oriente Médio (MECC, a sigla em inglês), e da Ação Conjunta de Igrejas Internacional, que trabalham no Iraque, alguns desde 2003, relataram testemunhos da trágica situação das crianças do país nesse momento.

O novo coordenador do programa de assistência do MECC, reverendo Nuhad Tomeh, visitou o Iraque recentemente e se reuniu com líderes de igrejas cristãs. Mesmo que mais de 15 igrejas e monastérios tenham sido gravemente atingidos durante os bombardeios, somado à pobreza e à falta de transporte que dificultam o trabalho, as igrejas iraquianas mantêm-se unidas e têm
esperanças de um futuro melhor.

Em sua visita a Bagdá, Tomeh conversou com crianças e perguntou-lhes o que mais desejavam para a cidade. Quase todas disseram que queriam se sentir seguras e poder ir à escola sem temor.

Khalad, um menino de 12 anos, lhe disse: Quero ser um especialista em computação, mas como farei, se nem ao menos posso terminar a escola? Muitas vezes as aulas são suspensas. Parece que nunca poderei terminar minha educação. Temos muito medo das bombas, dos foguetes e das metralhadoras, que ressoam por toda a parte, anotou.

Neste mês, o MECC pretende distribuir 1 mil pacotes com materiais escolares, além de alimentares nos hospitais, asilos e orfanatos.

Nos últimos meses, o MECC ajudou a reconstruir nove postos médicos e cinco escolas no norte do Iraque, onde a situação é melhor. Porém, estima-se que 25 mil famílias estejam desabrigadas em Faluja, vivendo em barracas e outro tipo de abrigo provisório.

O MECC ajuda 1 mil famílias refugiadas nas redondezas de Bagdá, mas por causa do agravamento da situação muitas organizações internacionais de assistência deixaram o Iraque nos últimos meses, o que repercutiu no trabalho humanitário.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE