Militantes seqüestram sete cristãos em ataques a comunidades rurais

| 30/09/2004 - 00:00


Um grupo militante islâmico, que tem aterrorizado comunidades não-muçulmanas nos estados de Borno, Yobe, e Kebbi (norte da Nigéria) desde o começo do ano, atacou novamente no dia 20 de setembro, queimando vilas, matando quatro policiais e seqüestrando sete cristãos.

Por volta de sessenta membros da seita muçulmana, conhecida na Nigéria como os Talibans, atacaram delegacias nas cidades de Bama e Gwoza, no estado de Borno. Depois de fugirem, os militantes invadiram comunidades cristãs, matando, estuprando e queimando casas.

Ezekiel Ibrahim, um empresário cristão da cidade de Maiduguri, disse a Compass que os militantes atacaram várias vilas e delegacias, matando pessoas que, para eles, poderiam ser inimigos do islã, particularmente os cristãos.

"Notícias de algumas das comunidades cristãs afetadas indicam que sete cristãos foram tomados pelos fanáticos muçulmanos nas áreas governamentais de Bama e Gwoza", Ezekiel disse.

No dia 24 de setembro, oficiais de polícia nigerianos anunciaram que quatorze cadáveres foram encontrados em áreas focalizadas nas invasões. Mais vítimas, de acordo com o reportado, morreram na violência, mas seus corpos não puderam ser recuperados por causa do terreno montanhoso da área.

O sub-inspetor geral de polícia, Mike Okiro, disse em uma conferência de imprensa em Maiduguri no sábado, dia 25 de setembro, que alguns dos militantes muçulmanos foram mortos em uma operação conjunta realizada pela polícia e pelo exército nigerianos.

Mike disse que cinco militantes, que escaparam para a vizinha República de Camarões, foram presos por forças de segurança daquele país. O governo nigeriano começou, de acordo com o reportado, negociações com as autoridades do Camarões para extraditar os suspeitos.

Ele também garantiu aos repórteres que a busca pelos violentos fanáticos irá continuar até todos os membros sobreviventes da seita militante serem localizados. Mike revelou que um número de armas foi recuperado dos militantes durante os contra-ataques dirigidos a eles.

O governador de Borno, Ali Modu Sherif, disse a jornalistas no dia 24 de setembro que ele ordenara que forças de segurança localizassem os membros do grupo islâmico.

"Nós orientamos os soldados para matá-los imediatamente" ele disse. "Nós queremos que essa loucura acabe de uma vez por todas. Estamos felizes porque as autoridades do Camarões intensificaram a segurança ao longo de seu lado das montanhas e estão prontos a ajudar a prendê-los ou a matá-los se cruzarem a fronteira", Ali Modu disse.
Compass viu os cadáveres das vítimas dos ataques e os militantes mortos pela operação militar sendo depositados no mortuário do Hospital Especialista em Maiduguri, no estado de Borno.

Enquanto isso, oficiais de polícia disseram que eles tentaram traçar a localização dos sete cristãos seqüestrados.

Os militantes islâmicos envolvidos são predominantemente universitários muçulmanos e afirmam serem afiliados ao taliban islâmico do Afeganistão.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE