Jovens cristãos chineses tomam decisões à luz da Bíblia

| 25/05/2016 - 00:00


26-china-0040003235.jpg

O texto a seguir vai apresentar a história de alguns jovens que foram transformados através do mesmo trabalho, um workshop para casais. Embora o treinamento tenha como objetivo estruturar casamentos, ele também atende aos jovens que estão namorando e querem saber como deve ser um casamento à luz da Bíblia. Abliz* era um muçulmano e ao se converter ao cristianismo teve muitas dúvidas. Como muitos jovens solteiros ele nunca tinha ouvido falar de um treinamento como esse. ""De onde eu venho, 99,9% das pessoas seguem a fé islâmica e a ideia de casamento é totalmente diferente. Esse curso mudou a minha forma de pensar"", comenta ele que vem de uma área remota da China Ocidental, onde os seguidores do cristianismo enfrentam discriminação dentro da própria família e da comunidade.

Dorcy* também era muçulmana e, de acordo com o costume de seu povo, ela está atrasada para se casar, em seus 20 anos de idade. Atualmente, ela dirige seu próprio negócio, um salão de cabeleireiro que tem dado muito certo. Mas por ser cristã, enfrenta dificuldades para encontrar um namorado, por isso decidiu aceitar o convite de namoro de um muçulmano. ""Meus pais e parentes ficaram tentando arranjar uma data para o casamento e isso gerou muitas discussões em casa. Eu sei que é preferível não se unir a um descrente, mas a minha situação colocou em dúvida a minha fé"", disse Dorcy amargamente.

Mas quando ela passou a desabafar sobre seus problemas no grupo, outros jovens se manifestaram e disseram estar na mesma situação. O conteúdo do treinamento tem o foco de mostrar a importância de honrar a Deus no casamento e os treinadores então decidiram propor aos participantes que seguissem a Bíblia e não as tendências desse mundo. ""Você pretende continuar seu namoro com esse homem?"", perguntou um dos instrutores à Dorcy, então ela permaneceu de cabeça baixa, sem dizer uma única palavra. Seis meses se passaram, então a equipe fez uma visita à jovem e no meio de uma conversa, ela disse: ""Depois do treinamento, eu só pensava na passagem que está em 2 Coríntios 6.14: ‘Não se ponham em jugo desigual com descrentes. Pois o que têm em comum a justiça e a maldade? Ou que comunhão pode ter a luz com as trevas?’. Por isso, decidi terminar o namoro com o muçulmano. Eu sei que fiz a coisa certa, esse curso me fez entender que devo esperar o tempo de Deus"". Em suas orações, interceda pelos jovens cristãos chineses.

* Foto e nomes alterados por motivos de segurança.

Leia também
Cristãos chineses acessam Bíblia online
Batismo nas montanhas
Os chineses precisam das nossas orações


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE