Igrejas são fechadas após abertura

| 13/04/2016 - 00:00


13-indonesia-0500100320

Um grupo islâmico na Indonésia, isolou uma nova igreja e exigiu que o prefeito local cancelasse a sua licença. A igreja que fica em Bekasi, uma cidade fortemente povoada ao leste da capital, Jacarta, foi inaugurada em 7 de março. O Fórum da Comunidade Islâmica e outras organizações islâmicas têm protestado desde a obtenção da licença da igreja em julho de 2015, alegando que seus líderes tinham usado cartões de identidade falsos para obtê-lo. A Comissão de Direitos Humanos da Ásia iniciou um apelo em nome da igreja, e pediu ajuda para enviar cartas aos dez principais líderes do país, incluindo o Presidente. Eles ainda disseram que vão escrever uma carta separada para o Relator Especial da ONU sobre Liberdade de Religião ou Crença. A Comissão observou que as agências policiais locais não conseguiram intervir em nome da igreja, deixando os cristãos com ""medo e incerteza"".

A alegação do Fórum é que a igreja tinha sido construída em uma comunidade onde a maioria é muçulmana e boa parte dos colégios também. No entanto, o prefeito Bekasi se recusou a anular a licença da igreja, dizendo que tinha cumprido todos os requisitos legais necessários para a construção. O Ministro da Religião da Indonésia apoiou a decisão do prefeito. ""Apesar disso, as agências de aplicação da lei não conseguiram proteger os fiéis; na verdade, parece que eles não fazem questão disso. Como resultado, os cristãos vivem agora sob pressão e intimidação. Além disso, o governo deve rever a lei sobre a criação de lugares de culto, sem qualquer distinção entre as várias religiões e crenças que existem no país"", escreveu a Comissão na sua carta de recurso.

A Indonésia é o 43º país na Classificação da Perseguição Religiosa deste ano e os eventos atuais na cidade de Bekasi são muito familiares para os cristãos na capital indonésia, Jacarta. Em março de 2013, a Igreja Protestante Batak, também em Bekasi, foi demolida quase imediatamente depois de ter sido construída. Mais uma vez, protestantes muçulmanos afirmaram que os líderes da igreja tinham assinaturas falsificadas para obter a licença. Enquanto isso, a cerca de 70 quilmetros de distância, em Bogor - outra igreja continua a manter suas atividades ao ar livre no domingo de manhã ao lado de uma estrada principal, porque o prefeito da cidade tem medo de lutar pela minoria cristã.

Em abril de 2010, outra igreja em Bogor foi selada e trancada com cadeado por ordem do prefeito da cidade. De acordo com um jornal local, o governante afirmou que o líder da aldeia falsificou assinaturas da comunidade e que a igreja trouxe problemas com os vizinhos muçulmanos. Mais tarde, ele disse que a igreja não deveria ser construída em uma rua com um nome islâmico. Em dezembro do mesmo ano, o Supremo Tribunal da Indonésia afirmou direito constitucional da igreja à liberdade de culto; no entanto, o prefeito de Bogor se recusou a reabrir essa igreja. Porém, suas atividades têm sido realizadas na calçada em frente à sua antiga igreja por mais de dois anos. Um líder cristão disse que mesmo assim, os trabalhos da igreja aumentaram consideravelmente. Continue intercedendo por esta nação, mesmo diante de tamanhas dificuldades, nossos irmãos não têm desistido.

Leia também
Indonésia tenta combater o radicalismo religioso
Cristãos indonésios são atacados novamente


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE