Governo da Tanzânia intensifica perseguição religiosa

| 19/06/2015 - 00:00


19_Tanzania_0270001174

A agência de notícias Barnabas City informou que “pastores foram chamados a comparecer perante o escritório de registro com os nomes de suas congregações, suas certidões de nascimento e respectivos números de registros das igrejas”.

Ashagrie, analista de perseguição da Portas Abertas, explica o que isso significa para os cristãos: “O governo da Tanzânia tem trabalhado neste projeto de constituição, mas não conseguiu realizar o referendo como planejado. No projeto de constituição existe uma disposição que introduz a Kadhi (Sharia), lei religiosa islâmica, em todo o país. Os cristãos têm sugerido que tal disposição criaria, sem dúvida, uma situação semelhante ao que tem sido o caso em Zanzibar por muitos anos. Em Zanzibar, sob o pretexto de aplicação das leis da Sharia, muitos cristãos, incluindo os estrangeiros foram atacados. Essa postura enfureceu o governo que, por sua vez, decidiu emitir um aviso que proibia igrejas de discutirem o assunto com sua congregação. Como cidadãos, os cristãos têm, contudo, todos os direitos para discutir sobre o conteúdo de todas as leis do país. Eles não devem desistir de se opor a uma proposta de Constituição que pretende introduzir os Tribunais Kadhi na Tanzânia continental.”

Ela continua: ""Há pouco mais de um mês, o departamento de pesquisa da Portas Abertas relatou que os cristãos na Tanzânia se opuseram à inclusão de tribunais Kadhi, como resultado da ação do governo de ter impedido cristãos de não comentarem em suas igrejas sobre o conteúdo do projeto. Essa história agora se complicou ainda mais com a convocação dos pastores e com a ameaça iminente de fechamento de igrejas. Onde isso vai parar?”


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE