Dezenas de cristãos são mortos por militantes islâmicos

| 30/08/2016 - 00:00


30-congo.jpg

O grupo extremista islâmico ADF-NALU (Allied Democratic Forces - National Army for the Liberation of Uganda / Forças Democráticas Aliadas - Exército Nacional de Libertação de Uganda) matou pelo menos 36 cristãos que viviam em uma vila chamada Rwangoma. Os aldeões foram amarrados em uma árvore e agredidos até a morte. Relatórios comprovam que os militantes também saquearam a vila e realizaram vários sequestros.

Nesse mês, outro incidente também foi registrado, onde três cristãos que prestavam serviços humanitários no país foram sequestrados. Acredita-se que o grupo extremista esteja envolvido também nesse caso. Até agora o governo não interferiu na perseguição contra os cristãos e a situação está se agravando a cada dia. A atual liderança política tenta se manter no poder a todo custo, mas a corrupção desenfreada faz com que o ADF-NALU conquiste várias regiões.

O principal foco do grupo extremista são os cristãos. Segundo os moradores das regiões mais atacadas, o grupo se opõe ao governo através de ataques criminosos, destruindo escolas, postos de saúde, dominando aldeias e incendiando igrejas. Além da intenção de ocupação de solo, eles querem assumir o poder para cobrar impostos da população e também pensam em desmembrar o país. A República do Congo não está na atual Classificação da Perseguição Religiosa, mas já ocupa o 52º lugar entre os países que tratam os cristãos com hostilidade. Interceda por essa nação.

Leia também
Violência islâmica mata muitos cristãos
A ""Grande Guerra da África"" chega no país


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE