Cristãos refugiados são atacados

| 25/10/2016 - 00:00


25-republica-centro-africana-pai-e-filhos


As eleições presidenciais na República Centro-Africana, realizadas em fevereiro desse ano, deveriam marcar o fim dos conflitos entre muçulmanos e cristãos no país. Dois candidatos cristãos disputaram o cargo e o clima foi de tranquilidade. Faustin-Archange Touadéra, atual presidente, prometeu que a paz e a reconciliação seriam suas prioridades. Ele tenta enfraquecer as atuações do grupo extremista Seleka, mas não tem sido tarefa fácil.

Recentemente, houve um ataque aos refugiados na cidade de Kaga-Bandoro por muçulmanos rebeldes que pertenciam ao Seleka. Parece que a ação faz parte de uma retaliação pelo assassinato de um de seus militantes e também pela morte de quatro jovens muçulmanos na região. O acampamento estava perto de uma base da ONU. Dois refugiados cristãos foram mortos durante o ataque. Enquanto os demais fugiam, os rebeldes dispararam suas armas. Pelo menos 30 pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas.

Esse incidente confirma a retomada dos conflitos que já assolaram o país há anos. A paz é relativa para os centro-africanos. Quanto aos cristãos, a “paz que excede todo o entendimento” tem reinado em seus corações, apesar das adversidades. É possível que o recente ataque tenha efeito dominó e que a segurança da igreja fique comprometida, a menos que a missão de paz da ONU consiga intervir de forma decisiva sobre as negociações entre governo e grupos extremistas islâmicos. Em suas orações, interceda pelos cristãos perseguidos.

Leia também
Conflitos entre muçulmanos e cristãos podem aumentar
O grande desafio de manter a paz aos cristãos


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE