Cristãos em Burkina Faso estão em estado de alerta

 

De acordo com informações locais, militantes leais ao Estado Islâmico reivindicaram seu primeiro ataque extremista em Burkina Faso, um dos países da África Ocidental. Eles atacaram um posto de fronteira, no Norte da cidade de Markoye, que fica na província de Oudalan. Um dos funcionários da alfândega morreu e outros dois ficaram feridos.

Os grupos militantes islâmicos que operam nas regiões do Norte e Oeste da África estão se espalhando rapidamente e, se o governo não intervir, eles poderão se tornar tão violentos e destrutivos quanto o Boko Haram. Embora os relatórios apontem para acontecimentos isolados, os cristãos já estão se preparando para um ambiente mais hostil, já que o cristismismo costuma ser o principal alvo desses grupos.

Burkina Faso está próximo de países que já enfrentam a perseguição religiosa em alto grau, como o Níger (49º na atual Classificação da Perseguição Religiosa), Nigéria (12º) e Mali (44º). Só na Nigéria, cerca de 2 milhões de cristãos vivem deslocados por conta extremismo islâmico. Mais de 11.500 cristãos foram mortos entre os anos de 2006 e 2014. A situação é alarmante e mesmo assim a igreja se mostra disposta a seguir em frente. Ore pela situação de Burkina Faso e por todos os cristãos perseguidos dos demais países.

Leia também

Cristãos são atacados por conta da instabilidade política no país
Jogo de poder entre jihadistas afeta cristãos