Cristãos devem ficar atentos para o crescimento do Estado Islâmico

| 24/08/2015 - 00:00


24_AsiaCentral_0250100066

De acordo com informações da rádio Free Europe (RFE), existe um relatório no qual o Movimento Islâmico do Uzbequistão (IMU), cujo líder é Usmon Ghazi, anuncia que seus combatentes já não representam um movimento, mas uma província do Estado Islâmico (EI). Eles juraram lealdade em árabe para o EI e seu líder Abu Bakr al-Baghdadi.

De acordo com as palavras do juramento: ""Graças ao Senhor, na sequência do Todo-Poderoso, que vai à nossa frente, nos comprometemos ser fieis para com o califado, que cedeu ao Islã. Agora nós somos parte disso. Os lutadores do IMU deverão ser chamados de Estado Islâmico da região de Khorasan"".

Rolf, analista da Portas Abertas, explica: ""Esse acontecimento abre um novo capítulo na história do Islã radical na região. Em vez de IMU, agora temos a província ‘Vilayat’ do Estado Islâmico. As pessoas estão sendo convocadas a defender esse grupo de radicais. Isso pode levar à chegada de muitos combatentes jihadistas, assim como ocorreu na Síria e no Iraque"".

""O IMU pode ter sido originado no Uzbequistão, mas o movimento foi chutado para fora da Ásia Central, e está cada vez mais ativo no Afeganistão e no Paquistão. As aspirações da nova província de Estado Islâmico são consideráveis: Khorasan é o nome de uma antiga província, que incluiu partes do moderno Irã, Afeganistão, Tajiquistão, Turquemenistão e Uzbequistão. Podemos, portanto, esperar que Estado Islâmico esteja reforçando sua ideia de controle total de uma região abrangida pelo conceito de Khorasan. Como o EI tem uma reputação muito negativa para com os cristãos, a Igreja na Ásia Central deve entrar em estado de alerta"", conclui Rolf.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE