Como a igreja cresce e se fortalece no Laos

Além da igreja doméstica de Beun, outros líderes abrem igrejas domésticas em suas aldeias

| 23/01/2019 - 00:00

Beun prepara novos líderes e igreja se multiplica em outros vilarejos, alcançando diferentes etnias

Beun prepara novos líderes e igreja se multiplica em outros vilarejos, alcançando diferentes etnias


Há alguns dias, trouxemos a notícia sobre a igreja de Beun*, um evangelista do Laos. A pergunta que fica é: como ele conseguiu reunir um grupo de 50 convertidos em tão pouco tempo em um dos países onde os cristãos são mais perseguidos? Um de seus segredos é que ele conta com uma equipe. Jesus tinha como discípulos 12 homens comuns; Beun tem seis. “Ano passado nós éramos apenas cinco, mas esse ano outra pessoa veio para nossa equipe. Nós evangelizamos os povos hmong, khmu, tai dam e outros. Não sabemos se nossos planos darão certo, mas os submetemos a Deus. Nós vamos para onde ele nos chama”, explica Beun.

Em uma refeição que a equipe da Portas Abertas compartilhou com a equipe de Beun, um de seus seis homens nos conta o que aconteceu quando toda sua família foi expulsa da tribo por ser cristã. “Não achando nenhum outro lugar para morar, vivemos na floresta por dez anos, até que o chefe da tribo veio e nos chamou para voltar para a aldeia. Tentamos formar uma igreja doméstica na nossa casa, mas o governador da província e o chefe do vilarejo não permitiram. Foi então que conhecemos Beun e no unimos à sua igreja. Ele me ensina a compartilhar o evangelho e a pregar, e agora está me ajudando a organizar minha própria igreja doméstica”, diz Sipho*, de 25 anos.

“Minha vida é muito melhor com Cristo”

Outro discípulo, Jet*, nos conta como se converteu ao ser curado de uma enfermidade. “Minha vida melhorou e eu comecei a compartilhar o evangelho. Agora tenho minha própria igreja doméstica no meu vilarejo”. Jet foi acusado falsamente de “vender jovens para estrangeiros”, mas sabe que a acusação só aconteceu porque é cristão. Mesmo assim, ele não desiste: “Se eu tiver que comparar minha velha vida com minha vida agora, minha vida é muito melhor com Cristo”, afirma.

Somente em maio de 2018, sete pessoas se converteram e foram batizadas. Elas continuam firmes na caminhada com Cristo. Mas a colheita nem sempre é fácil no Laos. Beun conta que muitas vezes as pessoas ouvem o evangelho e o aceitam rapidamente, mas depois esquecem do compromisso que fizeram. Por outro lado, “quando se convertem verdadeiramente e entendem o cristianismo, as pessoas começam a compartilhar as boas novas, a fé delas permanece forte e elas nunca voltam atrás para suas antigas crenças, não importa quão difícil seja”, conclui.

É o envolvimento dos parceiros da Portas Abertas que nos permite investir no ministério de Beun e ser parte de sua luta e jornada. Ele agradece: “Eu agradeço a Jesus por vocês continuarem orando por mim e por nosso ministério aqui no Laos. Agradeço a vocês por essa oportunidade de compartilhar minha história com cristãos do mundo todo. Obrigado por seu apoio”.

*Nomes alterados por segurança.

Leia mais
Como Deus alcança vidas no Laos
Conheça a história de Beun, um evangelista do Laos

Leia também
Consequências do desastre em Attapeu, no Laos
Entra em vigor lei que exige aprovação de encontros


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE