Casal de pastores é deportado do Nepal

Após descoberta de trabalho religioso no país, ambos são acusados de proselitismo e têm visto anulado

Um casal de cristãos foi deportado do Nepal após serem acusados de proselitismo – esforço contínuo para converter alguém – que é crime no país. De Vera Richard, das Filipinas, e a esposa Rita Gonga, da Indonésia, tinham um visto de trabalho e cuidavam de um restaurante. Porém após queixa apresentada ao Ministério do Interior, foi iniciada uma investigação que descobriu que eles trabalhavam também como pastores em uma igreja em Kumaripati, área residencial de Patan, cidade ao sul da capital Catmandu.

A deportação ocorreu porque eles estavam convertendo hindus em cristãos. O proselitismo é crime no Nepal punível com pena de até cinco anos de prisão e multa de aproximadamente R$ 1800. A investigação apresentou que o trabalho do casal como pastores violava os termos do visto de um ano de trabalho, que agora foi anulado.

Em abril, o governo do Nepal anunciou que serão elaboradas novas leis e emendas para que existam providências legais que previnam a conversão religiosa. De acordo com o ministro do interior, Ram Bahadur Thapa, o cristianismo tem tentado levar o país a um conflito e novas estratégias estão sendo desenvolvidas para manter a união nacional. Em outubro do ano passado, o presidente nepalês Bidhya Devi Bhandari, assinou um projeto de lei que criminaliza a conversão religiosa. Alguns parlamentares deram declarações dizendo que a liberdade religiosa no Nepal está quase chegando no limite.

Apresente em oração a Igreja Perseguida no país, para que mesmo com as estratégias usadas pelo governo, eles consigam testemunhar sobre Cristo. Interceda pelo governantes e autoridades, peça que eles sejam justos em suas decisões. Ore pelos novos convertidos que enfrentam perseguição da família e comunidade.

Leia também
Aumenta o número de ataques a cristãos no Nepal
Cristãos condenados em dezembro de 2016 são libertados
Cristãos são julgados pela nova Constituição do Nepal