Aumentam atividades fundamentalistas no país

| 17/03/2016 - 00:00


17-bangladesh-0010100171

No Bangladesh, o Estado Islâmico (EI) têm assumido a autoria da maioria dos ataques ocorridos contra as minorias étnicas e religiosas, especialmente cristãos e estrangeiros. Mesmo assim, o governo nega que a presença dos radicais islâmicos tenha assumido no país um papel dominante, o que tem assustado muito os bengaleses. As atividades fundamentalistas têm aumentado rapidamente nos últimos dois anos.

De acordo com relatórios da Portas Abertas, o momento é de grande tensão: ""Alguns militantes têm anunciado que grupos terroristas estão se preparando para jurar fidelidade ao EI e alguns artigos publicados nos principais jornais do país têm alertado que haverá um ‘renascimento da jihad’ em Bengala. O artigo mencionava a formação de células que organizaram vários ataques e assassinatos"".

Apesar da situação alarmante, o atual governo de Bangladesh, sob a liderança da primeira-ministra Sheikh Hasina e do presidente Abdul Hamid, diz que tudo está sob controle; a polícia diz que não há uma presença ameaçadora do Estado Islâmico no país. Mas na última década, Bangladesh tem visto uma série crescente de ataques contra a comunidade cristã, que representa menos de 1% da população do país, que é o 35º da Classificação da Perseguição Religiosa em 2016, onde as igrejas estão enfrentando uma pressão grande da comunidade para que não preguem mais o evangelho aos bengaleses. Ore por eles.

Leia também
Está cada vez mais difícil ser cristão em Bangladesh
Dez pastores de Bangladesh são ameaçados de morte


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE