As lutas da igreja no Butão

| 22/09/2016 - 00:00


A maioria dos cristãos butaneses tem praticado a fé cristã já há 20 anos, mais ou menos, compondo assim a primeira geração de cristãos no país. Uma segunda geração, no entanto, está emergindo, e enfrenta a mesma luta que seus pais enfrentaram desde o início, para prover um discipulado adequado às mulheres, jovens e crianças que têm como desafio alguns males sociais, como a violência doméstica, divórcios e uso abusivo de drogas.

Os cristãos são discriminados na vida privada e profissional. Eles são forçados a negar a fé e retornar para a religião tradicional do Butão, o budismo, que é protegido pelo governo e tem um papel predominante na sociedade. A minoria cristã não é formalmente reconhecida e tem sido acusada e até atacada violentamente. ""Tenho medo, mas Deus é minha paz. Deus é o meu conforto"", disse um líder cristão butanês.

Diante desse cenário, a Portas Abertas tem trabalhado com eles através de programações que visam o sustento espiritual por meio de seminários, conferências para a liderança, treinamento de líderes mulheres, apoio às escolas bíblicas e retiro para jovens. O objetivo é equipar essas pessoas para que tenham condições apropriadas de articular sua fé e também sejam testemunhos vivos de transformação em todas as áreas de suas vidas.

Pedidos de oração

  • Ore pelos colaboradores da Portas Abertas, para que sejam estratégicos em suas ações e sejam fortalecidos através do Espírito Santo.
  • Interceda pelos cristãos butaneses para que vençam todas as lutas e desafios que lhes são apresentados no dia a dia da igreja.
  • Ore pelos novos convertidos, em especial os jovens. Que eles sejam impactados pelo amor de Cristo e sigam firmes em sua nova fé.

Leia também
Cristãos se reúnem secretamente dentro de um táxi
As dificuldades dos cristãos butaneses


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE