Tanzânia considera estabelecer tribunais islâmicos

| 08/04/2015 - 00:00


08_Tanzania_Reuters

Tribunais "Kadhi" permitiriam que muçulmanos impusessem o casamento, divórcio, herança e direitos familiares em suas comunidades de acordo com a crença islâmica, e seus vereditos seriam reconhecidos oficialmente pelos tribunais do país.

O presidente da Tanzânia, o muçulmano Jakaya Kikwete, disse que os tribunais "Kadhi" iriam julgar apenas questões islâmicas específicas; não receberiam nenhum financiamento do Estado; e os tribunais seculares permaneceriam superiores a eles. No entanto, alguns líderes cristãos dizem que tal medida prejudicaria o estado secular do país.

As tensões entre muçulmanos e cristãos têm aumentado frente a um referendo constitucional previsto para o final de abril, disse Kikwete, que alertou contra a intervenção de líderes religiosos na política, dizendo que isto poderia estimular a violência.

A população da Tanzânia é de 45 milhões, dividida igualmente entre muçulmanos e cristãos. O país está na 33ª posição da Classificação da Perseguição Religiosa.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE