Por que o Domingo da Igreja Perseguida?* (1)

| 12/04/2005 - 00:00


Pelas contas da equipe de pesquisa de Portas Abertas Internacional, todos os dias, 200 milhões de pessoas enfrentam forte oposição a seu compromisso com a Bíblia e com uma prática cristã. Esses irmãos e irmãs têm de perseverar a despeito de fortes restrições que começam na indisponibilidade da Bíblia e passam pela proibição de se reunir e de evangelizar, chegando à ameaça e à perpetração de violência.

É importante falar das necessidades deles: os irmãos precisam de ajuda externa pois não têm condições de se manterem por suas próprias forças. Nessas condições, a Igreja corre risco de extinção nos mais de 50 países onde verifica-se hostilidade ostensiva contra cristãos.

Seriam necessárias páginas e páginas para se falar dos 50 países, daí este site ter uma seção chamada "Perfil de Países" onde apresentam-se as condições de cada um deles. Por agora, a atenção fica para os três primeiros colocados - Coréia do Norte, Arábia Saudita e Vietnã - discutindo-se quais as necessidades mais urgentes.

Nos últimos três anos, a Coréia do Norte tem sustentado a primeira posição na Classificação dos Países por Perseguição e a situação tem piorado ano a ano. As necessidades dos irmãos são gigantescas e de difícil solução: a primeira delas é a fome. A mídia secular não para de falar em milhões morrendo de fome e, possivelmente, os cristãos sejam o alvo principal. Além da carência de comida, a falta de contato com o exterior é total. Os irmãos não sabem que existe um Corpo, uma Igreja no mundo inteiro com quem possam contar. Fala-se em mais de 450 mil cristãos, perto de 2% de uma população de perto de 25 milhões de pessoas e há Bíblias insuficientes. Quando conseguem escapar, os irmãos relatam as atrocidades de que são vítimas e pedem oração pelos que ficaram, como na entrevista com a irmã norte-coreana Soon Ok Lee. A despeito das dificuldades, muito está sendo feito para fortalecer a igreja no país.

A Arábia Saudita é o coração do Islamismo Mundial. A maioria dos cristãos que vivem no país é composta de imigrantes a trabalho. Ainda assim, sabe-se de um minúsculo contingente de locais que converteram-se e vivem sob permanente aflição. A escassez de Bíblias é fortíssima, pois sabe-se que mesmo turistas chegam a ter suas Bíblias pessoais confiscadas na entrada e devolvidas na saída do país. A necessidade de visitação e comunhão é sufocante pois o contexto é de total aversão a qualquer outra proposta religiosa que não a local.

O Vietnã é um dos remanescentes regimes de afirmação comunista. Já não se sabe hoje se o verdadeiro ideário seguido pelos governantes é aquele instituído há 30 anos no fim da guerra pois, mais que tolerado, o estabelecimento de empresas privadas e até marcas internacionais é incentivado pelo governo. De todo modo, há um temor de qualquer iniciativa não controlada pelo estado e a igreja cristã é monitorada, vivenciando muitas restrições. Há muitas etnias para as quais é proibida a Bíblia em seu idioma, há muitas congregações que não têm liberdade para se reunir pois seus líderes não se submetem ao controle do estado e há muita escassez de Bíblias mesmo nas grandes cidades. Outra conseqüência das restrições é a falta de uma liderança discipulada e habilitada a fazer o discipulado. A necessidade de comunhão é também grande e pôde ser atestada pela recente visita da gerente de comunicação de Portas Abertas Brasil.

Esses três países juntos somam pouco mais de 7 milhões de cristãos, menos de 10% do total estimado da Igreja Perseguida, logo há muitas outras necessidades a serem conhecidas. Fica o convite para o leitor examinar o "Perfil de Países" e caso sinta o interesse por um ou mais países em especial que faça "buscas" no site para organizar um estudo sobre cada caso.

O mais urgente agora é ganhar consciência: há uma parte da manifestação de Cristo espalhada pelo planeta que precisa de nosso apoio. É nossa obrigação - e nosso privilégio - responder a este clamor, eles precisam de nós.

Se o Senhor Jesus Cristo falou que as portas do inferno não prevalecerão contra Igreja, fica uma pergunta: não é nossa tarefa contribuir com o cumprimento desta profecia?

22 de maio de 2005, Domingo da Igreja Perseguida: porque nossos irmãos precisam de nós.

Douglas Monaco - Secretário Geral de Portas Abertas Brasil

*Conforme promessa feita em "Um dia para marcar a história de sua igreja", entre 12 de abril e 10 de maio, este espaço discutirá cinco motivos para participar do Domingo da Igreja Perseguida. Hoje o tema é "Porque eles precisam", na semana que vem, o tema será "porque é um gesto de unidade".


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE