Uma coisa terrível tem de ser evitada

| 24/05/2005 - 00:00


Durante o dia 22 de maio, várias pessoas foram lembradas que a Igreja Perseguida existe e muitas mais foram apresentadas à realidade desta parte do Corpo. A maioria dos irmãos brasileiros não faz a menor idéia que existam pessoas sendo hostilizadas por sua opção de fé em pleno século XXI. Pior ainda, muitos não têm consciência da centralidade desta questão para a fé em Cristo. Para todos, o Domingo da Igreja Perseguida - DIP - foi uma grande oportunidade de se abrir para estas questões.

Dá para imaginar como foi o dia, as pessoas orando, trocando informações, se surpreendendo, encenando, pregando, lendo a revista Portas Abertas, lendo os textos bíblicos que explicam e descrevem a perseguição, se emocionando... orando de novo!

Enfim um dia inteiro de "contato" com os irmãos perseguidos. Todos terminando o dia certos que nunca mais serão os mesmos agora que sabem com é o dia-a-dia de nossos irmãos na Coréia do Norte, na Arábia Saudita, no Vietnã, no Laos e em todos os países da Classificação dos Países por Perseguição.

Mas, há uma forte ameaça pairando sobre esta "certeza": Se o contato iniciado no dia não for continuado, nossa tendência natural é, em menos de um mês, terem-se esquecidas todas as informações e todos os testemunhos conhecidos ontem.

Em menos de um mês, pessoas que foram impulsionadas a se engajar na causa da Igreja Perseguida podem ter voltado ao estado anterior, desconectado desta parte da família espiritual. Em menos de um mês, todo esforço de divulgação, preparação e realização do DIP pode se dissipar completamente.

A menos que....

A menos que estabeleça-se um vínculo permanente entre os irmãos daqui e os irmãos de lá, A menos que se crie um canal direto por onde cheguem as notícias, os testemunhos e as vitórias. Uma comunicação clara e freqüente.

A menos que todos os participantes tenham seu próprio Tíquico.

Lembra-se de Tíquico? Mencionado em Efésios, 6:21, este irmão era encarregado por Paulo - que estava preso - de "informar tudo a respeito dele". Tíquico não permitia que os outros cristãos ficassem sem saber de Paulo para orar por ele, para vibrar com ele, enfim, para servir naquilo de que ele necessitasse.

Para isso, Tíquico tinha de saber onde moravam estes irmãos a quem as notícias de Paulo tinham de ser passadas. Da mesma forma, hoje, Portas Abertas tem de saber os dados dos participantes no DIP para que lhes seja encaminhada toda informação que chega aos escritórios da Missão. É indispensável que sejam enviados à Missão os nomes e endereços de todos os participantes da celebração.

Se você organizou o DIP na sua igreja, envie os dados o mais rapidamente possível. Se você participou cadastre-se imediatamente. Assim, todos poderão receber a Revista Portas Abertas, os informativos por email e as correspondências especiais.

O Domingo da Igreja Perseguida passou e é hora de dar continuidade ao empenho dedicado no dia. Se não houver seguimento, os resultados ficarão muito aquém do necessário. Isso tem de ser evitado. Nossos irmãos contam com você.

Douglas Monaco


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE